honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Uso de medicamentos/drogas durante a amamentação

Por

Ravindu Gunatilake

, MD, Valley Perinatal Services;


Avinash S. Patil

, MD, University of Arizona

Última revisão/alteração completa nov 2018| Última modificação do conteúdo nov 2018
Clique aqui para a versão para profissionais

Quando uma mãe que está amamentando precisa tomar um medicamento, ela tem dúvida se deve ou não parar de amamentar. A resposta depende do seguinte:

  • Quanto do medicamento passa para o leite

  • Se o medicamento é absorvido pelo bebê

  • De que maneira o medicamento afeta o bebê

  • A quantidade de leite que o bebê consome, que depende da sua idade e da quantidade de outros alimentos e líquidos na sua dieta.

Alguns medicamentos, como adrenalina, heparina e insulina, não passam para o leite materno e, assim, podem ser usados com segurança. A maioria dos medicamentos passa para o leite materno, mas em geral em quantidades mínimas. Porém, mesmo em pequenas quantidades, alguns medicamentos podem prejudicar o bebê.

Alguns medicamentos passam para o leite materno, mas o bebê costuma absorver tão pouco deles que não sofrem nenhum efeito. Exemplos incluem os antibióticos gentamicina, canamicina, estreptomicina e tetraciclina.

Quando possível, os medicamentos devem ser tomados imediatamente após a amamentação ou antes do período de sono mais prolongado do bebê.

Medicamentos que são relativamente seguros durante a época da amamentação

Os medicamentos considerados seguros incluem a maioria dos que não necessitam de receita (de venda livre). As exceções são os anti-histamínicos (comumente encontrados em medicamentos contra gripe e tosse, antialérgicos, medicamentos contra enjoo e soníferos) e, se tomados em grandes quantidades durante muito tempo, o ácido acetilsalicílico e outros salicilatos. Paracetamol e ibuprofeno, tomados nas doses habituais, parecem ser seguros.

Medicamentos aplicados à pele, aos olhos ou ao nariz ou que são inalados costumam ser seguros.

A maioria dos anti-hipertensivos não causa problemas significativos para os lactentes. A mulher pode tomar betabloqueadores durante a amamentação, mas o bebê deve ser monitorado regularmente quanto à presença de efeitos colaterais, como baixa frequência cardíaca ou baixa pressão arterial.

A cafeína e a teofilina não causam problemas para lactentes, mas podem fazer com que fiquem irritados. As frequências cardíaca e respiratória do bebê podem aumentar.

Apesar de alguns medicamentos serem considerados seguros para os lactentes, a mulher que está amamentando deve consultar um profissional da saúde antes de tomar qualquer medicamento, mesmo que ele seja de venda livre ou fitoterápico. É importante ler todas as bulas para ver se eles contêm avisos relativos ao uso durante a amamentação.

Did You Know...

  • Apesar de alguns medicamentos serem considerados seguros para os lactentes, a mulher que está amamentando deve consultar um profissional da saúde antes de tomar qualquer medicamento, mesmo que ele seja de venda livre ou fitoterápico.

Medicamentos que precisam de supervisão médica durante a época da amamentação

Alguns medicamentos exigem supervisão médica durante o uso. O uso seguro desses medicamentos durante a época da amamentação pode exigir:

  • Um ajuste da dose

  • Uma limitação do prazo durante o qual o medicamento é utilizado

  • Prestar atenção no intervalo entre a ingestão do medicamento e a amamentação

A maioria dos medicamentos ansiolíticos, antidepressivos e antipsicóticos exigem supervisão médica, mesmo quando não há probabilidade de causarem problemas significativos ao bebê. No entanto, esses medicamentos permanecem no organismo durante um longo período. Durante os primeiros meses de vida, os bebês podem ter dificuldade em eliminar os medicamentos, que podem afetar seu sistema nervoso. Por exemplo, o medicamento para ansiedade diazepam (um benzodiazepínico) causa letargia, sonolência e perda de peso nos bebês em amamentação. O fenobarbital (um tipo de anticonvulsivante e barbitúrico) é eliminado lentamente em bebês; assim, esse medicamento pode causar sonolência excessiva. Devido a esses efeitos, o médico diminui a dose de benzodiazepínicos e barbitúricos e controla seu uso por mulheres que amamentam.

Varfarina (um medicamento que previne a coagulação do sangue) se o parto do bebê ocorrer a termo e o bebê for saudável. A varfarina não parece entrar no leite materno. As pessoas que tomam varfarina, incluindo mulheres que estão amamentando, precisam fazer exames de sangue periodicamente para determinar se a coagulação do sangue está ocorrendo normalmente. A varfarina pode causar uma tendência a ter hematomas ou sangrar facilmente. Assim, por motivos de segurança, o médico examina o bebê periodicamente para ver se ele está com hematomas ou sinais de sangramento.

Medicamentos que não devem ser tomados durante a época da amamentação

Alguns medicamentos não devem ser tomados durante a amamentação. Incluem

Medicamentos que podem suprimir a produção do leite incluem a bromocriptina (utilizada para tratar a doença de Parkinson), o estrogênio, contraceptivos orais que contêm estrogênio em alta dose e uma progestina, trazodona (um tipo de antidepressivo) e levodopa.

Se a mulher que está amamentando precisar tomar um medicamento que pode prejudicar o bebê, ela deve interromper a amamentação. Mas podem reiniciar a amamentação depois de pararem de tomar o medicamento. Enquanto estiver tomando o medicamento, a mulher pode manter a produção de leite ao bombear e, depois, descartar o leite materno.

Mulheres que fumam não devem amamentar no prazo de duas horas após terem fumado e nunca devem fumar na presença do bebê, estejam ou não amamentando. Fumar reduz a produção de leite e interfere no ganho de peso normal do bebê.

Álcool consumido em grandes quantidades pode deixar o bebê tonto e causar suor abundante. O comprimento do bebê pode não aumentar normalmente e ele pode ganhar excesso de peso. Beber até uma bebida alcoólica padrão por dia não parece ser prejudicial para o bebê em fase de amamentação, sobretudo se a mulher esperar no mínimo duas horas depois de ter tomado uma única bebida antes de amamentar.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS