honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Phototherapy: Using Ultraviolet Light to Treat Skin Disorders

Phototherapy: Using Ultraviolet Light to Treat Skin Disorders

A exposição à luz solar é benéfica para certas doenças da pele. Um componente da luz solar – os raios ultravioleta (UV) – é responsável por esse efeito. Os raios UV têm muitos efeitos distintos sobre as células da pele, incluindo a capacidade de alterar as quantidades e os tipos de substâncias químicas que produzem e de causar a morte de determinadas células que podem estar envolvidas nas doenças da pele.

A utilização dos raios UV para tratar doenças denomina-se fototerapia. A psoríase e a dermatite atópica são os distúrbios mais frequentemente tratados com fototerapia.

Como a exposição à luz solar natural varia em intensidade e não é acessível durante grande parte do ano em alguns climas, a fototerapia é quase sempre realizada com raios UV artificiais. Os tratamentos são realizados em um consultório médico ou em um centro de tratamento especializado.

Os raios UV, que são invisíveis ao olho humano, classificam-se como A, B ou C, conforme o comprimento da onda. Os raios ultravioleta A (UVA) penetram mais profundamente na pele do que os raios ultravioleta B (UVB). Os raios UVA ou UVB escolhem-se tendo como base o tipo e a gravidade do distúrbio da pessoa. Os raios ultravioleta C não são administrados na fototerapia. Certos raios produzem apenas alguns comprimentos de onda específicos de UVA ou UVB (terapêutica de banda estreita), que se utilizam para tratar doenças específicas. A terapia de banda estreita ajuda a limitar o efeito de queimadura solar causado por fototerapia.

Por vezes, a fototerapia combina-se com a administração de psoralenos. A combinação de psoralenos e UVA é conhecida como terapêutica PUVA (psoralens plus ultraviolet A). Os psoralenos são medicamentos que podem ser tomados por via oral antes de se iniciar o tratamento com raios UV. Os psoralenos sensibilizam a pele aos efeitos dos raios UV e permitem uma exposição mais curta e de menor intensidade.

Os efeitos colaterais da fototerapia incluem dor e vermelhidão, semelhante a queimaduras solares por exposição prolongada aos raios UV. A exposição aos raios UV também aumenta o risco de câncer cutâneo em longo prazo, mas o risco é pequeno para sessões de tratamento curtas. Muitas vezes os psoralenos causam náusea e extrema sensibilidade à luz solar. Além disso, como os psoralenos penetram no cristalino do olho, deve-se usar óculos de sol resistentes aos raios UV, pelo menos nas 12 horas posteriores ao tratamento com PUVA.