Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Febre maculosa das Montanhas Rochosas (FMMR)

(Febre maculosa, febre dos carrapatos, tifo dos carrapatos)

Por

William A. Petri, Jr

, MD, PhD, University of Virginia School of Medicine

Última revisão/alteração completa jul 2018| Última modificação do conteúdo ago 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A febre maculosa das Montanhas Rochosas é uma doença por riquétsias, transmitida pelos carrapatos dos cães e dos bosques, potencialmente fatal. Ela causa erupção cutânea, dor de cabeça e febre alta.

  • As pessoas ficam infectadas quando um carrapato que carrega a infecção dá uma picada nelas.

  • Uma dor de cabeça intensa, arrepios, exaustão extrema e dores musculares se desenvolvem, geralmente seguidos de erupção cutânea em alguns dias.

  • A melhor forma de prevenir a infecção é evitar as picadas de carrapato.

  • As pessoas recebem antibióticos imediatamente se forem picadas por carrapato e apresentam sintomas típicos.

A febre maculosa das Montanhas Rochosas (FMMR) é causada pela bactéria Rickettsia rickettsii. Riquétsias são um tipo de bactéria que consegue viver apenas no interior de células de outros organismos.

A febre maculosa das Montanhas Rochosas (FMMR) é provavelmente a infecção mais comum por riquétsias nos Estados Unidos. Ela foi primeiramente reconhecida nos estados das Montanhas Rochosas, mas ocorre por quase todo o continente americano. É mais comum no sudeste e centro-sul dos Estados Unidos (Carolina do Norte, Oklahoma, Arkansas, Tennessee e Missouri). Também ocorre na América Central e América do Sul.

A febre maculosa das Montanhas Rochosas surge principalmente de março a setembro, quando os carrapatos adultos estão ativos e há mais probabilidade de as pessoas se encontrarem nas áreas infestadas por eles. Nos estados do sul, a doença pode ocorrer durante todo o ano. A infecção é mais comum entre as pessoas que passam muito tempo em zonas infestadas por carrapatos e entre crianças com menos de 15 anos.

Os carrapatos adquirem essas riquétsias ao se alimentarem de mamíferos infectados, normalmente roedores. As fêmeas de carrapato infectadas também podem transmitir as riquétsias às suas crias. A infecção é transmitida às pessoas por picadas de carrapatos de bosques ou de cachorros. A infecção por riquétsias provavelmente não é transmitida diretamente de pessoa para pessoa.

As riquétsias vivem e multiplicam-se nas células que revestem os vasos sanguíneos. Geralmente, são infectados os vasos sanguíneos que se encontram na pele e sob esta, bem como no cérebro, pulmões, coração, rins, fígado e baço. Os pequenos vasos sanguíneos infectados podem ser obstruídos por coágulos. Se a infecção for grave, podem-se formar coágulos de sangue por todo o corpo, causando coagulação intravascular disseminada.

Você sabia que...

  • Quase três quartos das pessoas com sintomas lembram-se de ter sido picadas por um carrapato.

Sintomas

Normalmente, os sintomas da febre maculosa das Montanhas Rochosas incluem dores de cabeça intensas, calafrios, exaustão extrema (prostração) e dores musculares. Os sintomas começam repentinamente entre 3 e 12 dias após a picada de um carrapato. Quanto mais rápido começam os sintomas, mais grave é a infecção. A febre alta surge alguns dias depois e nas infecções graves persiste entre 2 e 3 semanas. Também pode se manifestar uma tosse seca e cavernosa. Enjoos e vômitos são frequentes.

Entre o primeiro e o sexto dia de febre, surge uma erupção cutânea nos pulsos, palmas das mãos, tornozelos, solas dos pés e antebraços. Ela se estende rapidamente para o pescoço, face, axilas, nádegas e tronco. Ao princípio, a erupção cutânea é achatada e rosada, mas depois obscurece e eleva-se levemente. Não causa sensação de comichão. A erupção cutânea torna-se mais evidente com a água quente, por exemplo, ao tomar um banho. Em aproximadamente 4 dias, surgem pequenas áreas de cor púrpura (petéquias) devido a hemorragias da pele. Se a infecção for grave, as áreas da pele podem morrer e ficar pretas, indicando gangrena.

Cerca de 10% das pessoas com febre maculosa das Montanhas Rochosas não desenvolvem erupção cutânea.

À medida que a febre maculosa das Montanhas Rochosas progride, ela pode causar outros sintomas:

  • Se os vasos sanguíneos do cérebro forem afetados, é possível sentir agitação, insônia, delírio ou, às vezes, coma.

  • Dor abdominal

  • Inflamação das vias aéreas (pneumonite) e pneumonia

  • Lesão cardíaca

  • Anemia

  • Baixa pressão arterial a níveis graves e morte (incomum, quando a infecção é grave)

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Biópsia e análises da erupção cutânea

  • Exames de sangue

Os médicos suspeitam de febre maculosa das Montanhas Rochosas se as pessoas se enquadrarem em ambas as situações a seguir:

  • Vivem próximas de ou em áreas de bosques em qualquer parte do hemisfério ocidental

  • Têm febre, dor de cabeça e dores musculares na primavera, verão ou outono, independentemente de apresentarem uma erupção cutânea ou uma picada de carrapato

Cerca de 70% das pessoas se lembram de ter sido picadas por carrapato.

Geralmente são necessários exames para confirmar a febre maculosa das Montanhas Rochosas. No entanto, os exames disponíveis podem não detectar as bactérias imediatamente ou demorar um longo período para serem processados. Assim, se os médicos suspeitarem de febre maculosa das Montanhas Rochosas, eles normalmente começarão o tratamento antes de receberem os resultados dos exames.

Para confirmar o diagnóstico, os médicos geralmente fazem um ensaio de imunofluorescência em uma amostra da erupção cutânea (biópsia). Para ensaios de imunofluorescência, substâncias estranhas produzidas pela bactéria (antígenos) são marcadas com corante fluorescente facilitando a detecção e a identificação da bactéria.

Os médicos podem fazer análises de sangue que detectam anticorpos à bactéria. No entanto, as análises só conseguem detectar esses anticorpos pela primeira vez em cerca de 7 a 10 dias após o início dos sintomas. Os testes de anticorpos feitos antes dessa época podem ser negativos. Assim, os médicos geralmente fazem o teste duas vezes com várias semanas de intervalo para detectarem um aumento no nível de anticorpos. Assim, essas análises não ajudam os médicos a diagnosticar a infecção imediatamente após alguém ficar doente, mas podem ajudar a confirmar o diagnóstico posteriormente.

Prevenção

Não existe vacina contra a febre maculosa das Montanhas Rochosas; portanto, a melhor prevenção é evitar as picadas de carrapatos e retirar imediatamente os carrapatos grudados na pele. As medidas seguintes podem ajudar:

  • Para limitar o acesso dos carrapatos à pele, pode-se colocar as calças dentro das botas ou das meias e aplicar um inseticida na roupa que contenha permetrina.

  • Repelentes contra os carrapatos, como DEET (dietiltoluamida) podem ser aplicados diretamente na pele. Esses repelentes são eficazes, mas, em raras ocasiões, causam reações tóxicas, como convulsões, em crianças pequenas.

  • A procura frequente dos carrapatos ajuda a prevenir a infecção porque o carrapato tem que permanecer agarrado durante uma média de 24 horas para transmitir a infecção.

  • Os carrapatos agarrados devem ser removidos cuidadosamente com pinças. A cabeça do carrapato deve ser agarrada o mais próximo da pele quanto possível. Deve-se ter cuidado quando remover um carrapato porque as riquétsias também podem ser transmitidas ao se esmagar um carrapato infectado cheio de sangue enquanto é extraído.

Prevenção contra picadas de carrapatos

A prevenção do acesso de carrapatos à pele inclui

  • Manter-se em vias e trilhas

  • Enfiar as calças nas botas ou nas meias

  • Vestir camisas de manga comprida

  • Aplicar repelentes com dietiltoluamida (DEET) em superfícies cutâneas

A DEET deve ser usada com cuidado em crianças muito pequenas, pois foram relatadas reações tóxicas. Permetrina no vestuário é eficaz para matar os carrapatos. As buscas frequentes de carrapatos, principalmente em áreas pilosas e em crianças, são essenciais em regiões em que as infecções transmitidas por carrapatos são comuns.

Carrapatos cheios de sangue devem ser retirados com cuidado e não devem ser amassados entre os dedos, pois amassar o carrapato pode resultar em transmissão da doença. O corpo do carrapato não deve ser agarrado, nem esmagado. A tração gradual na cabeça do carrapato com uma pequena pinça irá desalojá-lo. O ponto em que ele se grudou deve ser limpo com álcool. Vaselina, fósforos acesos e outros produtos irritantes não são formas eficazes de retirar os carrapatos e não devem ser usadas.

Não há meios práticos disponíveis para eliminar áreas inteiras de carrapatos. No entanto, o número de carrapatos pode ser reduzido em áreas em que eles são comuns tornando-se o ambiente menos atraente para os animais que transportam os carrapatos. Por exemplo, as pessoas podem tornar as áreas menos atraentes para camundongos retirando pilhas de madeira e folhagem caída e limpando a grama alta e o mato rasteiro ao redor das casas, especialmente ao redor de áreas de lazer. Os camundongos podem se esconder e fazer ninhos nesses locais.

Tratamento

  • Antibióticos

Os médicos prescrevem antibióticos imediatamente se suspeitarem de febre maculosa das Montanhas Rochosas com base nos sintomas e na possibilidade de exposição aos carrapatos infectados, mesmo se os resultados das análises laboratoriais ainda não estiverem disponíveis. O tratamento prematuro com antibióticos reduziu o índice de mortalidade de 20% para 5%, aproximadamente.

Geralmente se usa doxiciclina. Ela é administrada por via oral quando a infecção for leve e por via intravenosa nas infecções mais graves. As pessoas tomam o antibiótico até melhorarem e não terem febre por 24 a 48 horas, mas devem tomá-lo durante pelo menos 7 dias.

Contudo, o médico habitualmente não prescreve antibióticos a pessoas que tiveram uma picada de carrapato, mas nenhum sintoma. Em vez disso, o médico pode pedir a elas que relatem imediatamente quaisquer sintomas.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Como lavar as mãos
Vídeo
Como lavar as mãos
Modelos 3D
Visualizar tudo
Herpes labial
Modelo 3D
Herpes labial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS