honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Infecção pelo vírus do Nilo Ocidental

Por

Thomas M. Yuill

, PhD, University of Wisconsin-Madison

Última revisão/alteração completa mai 2020| Última modificação do conteúdo mai 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

A infecção pelo vírus do Nilo Ocidental é uma doença viral disseminada, principalmente, de mosquitos para pessoas. A maioria das pessoas manifesta sintomas leves ou nenhum sintoma, mas algumas pessoas desenvolvem uma infecção grave que afeta o sistema nervoso central.

  • A infecção pelo vírus do Nilo Ocidental está presente nas ilhas contíguas aos Estados Unidos, sul do Canadá, México, América do Sul e Caribe, bem como na África, Oriente Médio, sul da Europa, antiga União Soviética, Índia e Indonésia. Um vírus intimamente relacionado, o vírus Kunjin, está presente na Austrália.

  • Os sintomas, se houver, variam em gravidade, mas podem incluir febre, dor de cabeça, dores no corpo, dor articular, vômito, diarreia ou erupção cutânea.

  • Em casos raros, as pessoas desenvolvem uma infecção séria, por vezes fatal, que afeta o sistema nervoso central.

  • Para diagnosticar a infecção pelo vírus do Nilo Ocidental, os médicos fazem uma punção lombar ou exames de sangue para detectar a presença de anticorpos contra o vírus.

  • Não há vacinas para prevenir a infecção pelo vírus do Nilo Ocidental em seres humanos, mas as pessoas podem reduzir o risco de transmissão adotando medidas para evitar picadas de mosquitos.

  • A maioria das pessoas com infecção pelo vírus do Nilo Ocidental não precisa de tratamento, mas as que desenvolvem infecções no cérebro ou na medula espinhal requerem monitoramento atento e tratamento de apoio, como ventilação mecânica.

O vírus do Nilo Ocidental está presente em muitas espécies de aves. Os mosquitos se infectam ao picar aves infectadas. Os mosquitos infectados disseminam o vírus do Nilo Ocidental a pessoas e outros animais ao picá-los. Em um número muito pequeno de casos, o vírus do Nilo Ocidental foi disseminado por transfusões de sangue, transplantes de órgãos e de uma mãe para o bebê durante a gravidez, o parto ou a amamentação.

Sintomas

A maioria (quatro em cinco) das pessoas com infecção pelo vírus do Nilo Ocidental não manifesta sintomas. Cerca de uma em cinco desenvolve febre, juntamente com outros sintomas, tais como dor de cabeça, dores no corpo, dor articular, vômito, diarreia ou erupção cutânea.

Cerca de uma a cada 150 pessoas desenvolve envolvimento grave do sistema nervoso central, com encefalite (uma infecção cerebral), meningite (infecção dos tecidos que revestem o cérebro e a medula espinhal) ou fraqueza e paralisia. Os sintomas de infecção do sistema nervoso central incluem febre alta, dor de cabeça, rigidez do pescoço, estupor, desorientação, coma, tremores, convulsões, fraqueza muscular, perda de visão, dormência e paralisia. Os idosos e as pessoas com certos quadros clínicos crônicos, como diabetes ou hipertensão arterial, são mais propensos a desenvolver doença grave. Cerca de uma a cada dez pessoas com envolvimento grave do sistema nervoso central morre.

A maioria das pessoas com sintomas típicos se recupera completamente, mas a fadiga e a fraqueza podem perdurar por semanas ou meses. As pessoas cujo sistema nervoso central foi afetado muitas vezes têm efeitos adversos duradouros no cérebro e nos nervos.

Diagnóstico

  • Exames de sangue

  • Uma punção lombar

Há suspeita de infecção pelo vírus do Nilo Ocidental em pessoas que manifestam sintomas típicos (sobretudo sintomas sugestivos de meningite ou uma infecção cerebral.

Para diagnosticar o vírus do Nilo Ocidental, os médicos podem fazer exames de sangue para detecção de anticorpos específicos contra o vírus do Nilo Ocidental. (Anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico para ajudar a defender o corpo contra um agressor específico).

Se as pessoas tiverem sintomas de meningite, é feita uma punção na coluna vertebral (punção lombar) para obter uma amostra de líquido cefalorraquidiano para análise. (O líquido cefalorraquidiano é o líquido que passa pelos tecidos que cobrem o cérebro e a medula espinhal). Uma amostra de líquido cefalorraquidiano é enviada a um laboratório para ser testada quanto à presença de anticorpos específicos contra o vírus do Nilo Ocidental.

Os médicos podem usar a técnica de reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa (reverse transcriptase-polymerase chain reaction, RT-PCR) para produzir muitas cópias do material genético do vírus. Essa técnica permite que os médicos identifiquem o vírus rapidamente e com precisão.

Prevenção

Não existe nenhuma vacina para prevenir a infecção pelo vírus do Nilo Ocidental em pessoas. Uma vacina está disponível para equinos.

Evitar picadas de mosquito é essencial para prevenir a infecção pelo vírus do Nilo Ocidental. Para prevenir picadas de mosquitos, as pessoas devem tomar as seguintes precauções:

  • Usar camisas de manga comprida e calças compridas.

  • Ficar em locais que tenham ar-condicionado ou que usem telas de janelas e portas para manter os mosquitos fora.

  • Dormir sob um mosquiteiro em locais que não tenham ar-condicionado ou não estejam adequadamente protegidos por telas.

  • Usar repelentes de insetos, aqueles que contêm ingredientes como DEET (dietiltoluamida) ou outros princípios ativos aprovados, nas superfícies da pele expostas.

  • Tratar o vestuário e equipamentos com o inseticida permetrina (não aplicá-lo diretamente na pele).

Para crianças, são recomendadas as seguintes precauções:

  • Não usar repelentes de insetos em bebês com menos de 2 meses de idade.

  • Não usar produtos contendo óleo de eucalipto-limão (para-mentano-diol) em crianças com menos de 3 anos de idade.

  • No caso de crianças maiores, os adultos devem borrifar repelente em suas próprias mãos e depois aplicá-lo na pele das crianças.

  • Vestir as crianças com roupas que cubram seus braços e pernas, ou cobrir o berço, carrinho ou canguru com um mosquiteiro.

  • Não aplicar repelente contra insetos nas mãos, olhos, boca ou na pele cortada ou irritada.

Tratamento

  • Cuidados de apoio

Não existe tratamento específico para infecção pelo vírus do Nilo Ocidental. O tratamento da infecção pelo vírus do Nilo Ocidental é de apoio. Isso inclui:

  • Fazer repouso

  • Líquidos para prevenir a desidratação

  • Paracetamol para aliviar a febre e as dores

Os profissionais de saúde devem monitorar atentamente as pessoas cujo sistema nervoso central esteja afetado e proporcionar ventilação mecânica, se necessário.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Feature.AlsoOfInterst.SocialMedia

PRINCIPAIS