Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando
Fatos rápidos

Convulsões febris

Por

The Manual's Editorial Staff

Última revisão/alteração completa mai 2018| Última modificação do conteúdo mai 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha os detalhes completos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

O que são convulsões febris?

Febril significa ter febre. Convulsões são crises convulsivas (movimentos súbitos incontroláveis) causadas por uma rajada anômala de atividade elétrica no cérebro. Convulsões febris são crises convulsivas que, às vezes, uma criança tem devido a uma febre. As convulsões:

  • São desencadeadas por febre alta

  • Ocorrem com mais frequência em crianças entre seis meses e três anos de idade que são de outro modo saudáveis

  • Duram menos de 15 minutos

  • Costumam ser um mal de família

Muitas crianças que têm uma convulsão febril têm apenas um episódio.

Embora possa ser assustador presenciar um episódio de convulsão febril, ela é inofensiva. Contudo, algumas doenças graves, como infecções no cérebro (meningite), causam tanto febre como convulsões. Nesses casos, é a doença grave que está causando a convulsão, e não a própria febre. As convulsões causadas por uma doença grave não são consideradas convulsões febris.

O que causa as convulsões febris?

As convulsões febris são desencadeadas por uma febre. Geralmente, a febre é causada por uma infecção leve, como um resfriado ou uma infecção de ouvido. Ninguém sabe por que a febre às vezes causa convulsões em uma criança.

Quais são os sintomas das convulsões febris?

Há dois tipos de convulsões febris: as simples e as complexas. Elas têm sintomas diferentes.

Simples:

  • O corpo todo da criança treme durante menos de 15 minutos

Complexas:

  • O corpo todo da criança treme durante mais de 15 minutos (de maneira contínua ou com pausas) ou

  • Os tremores ocorrem em apenas um lado do corpo da criança ou

  • As convulsões ocorrem, pelo menos, duas vezes no prazo de 24 horas

Durante a convulsão, a criança não terá ciência de que há alguém por perto e nem conseguirá falar. Contudo, a criança continua respirando.

Quais exames são realizados pelo médico?

Uma vez que algumas infecções graves no cérebro que causam febres também causam convulsões, a criança precisa ser examinada por um médico. A criança precisa ser levada ao pronto-socorro se ela estiver tendo uma convulsão e também:

  • Tiver febre ou

  • Nunca tiver tido uma convulsão antes ou

  • Estiver muito doente

O médico faz perguntas sobre os sintomas da criança e, depois, examina a criança.

Dependendo do que ele encontrar, é possível que o médico solicite exames para tentar procurar por outras doenças graves. É possível que a criança precise realizar:

  • Uma punção lombar (um procedimento em que o médico insere uma agulha na região lombar da criança para retirar uma amostra do líquido que rodeia o cérebro e a medula espinhal) para tentar detectar a presença de infecção cerebral

  • Um exame de RM (um tipo de exame que mostra imagens detalhadas)

  • Exames de sangue

A maioria das crianças não precisa desses exames adicionais. A maioria das crianças apresenta um único episódio de convulsão febril.

De que maneira o médico trata as convulsões febris?

No caso de uma convulsão com menos de 15 minutos de duração:

  • Medicamentos para baixar a febre da criança

  • Geralmente, esse é o único tratamento administrado

No caso de uma convulsão que dura 15 minutos ou mais:

  • Medicamentos para cessar a convulsão (anticonvulsivantes)

A maioria das crianças não precisa tomar medicação diariamente para prevenir convulsões. O médico apena receita medicação para prevenir convulsões para crianças que tiveram:

  • Muitos episódios de convulsão febril

  • Convulsões que duram muito tempo

A criança terá mais convulsões?

Se a criança tiver tido um ou dois episódios de convulsão febril simples, a criança tem uma probabilidade apenas levemente maior de ter um distúrbio convulsivo (convulsões sem febre) que outras as crianças. Se a criança tiver tido episódios de convulsão febril complexa ou tiver outros problemas médicos, a criança tem um risco maior de desenvolver um distúrbio convulsivo.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS