Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Considerações gerais sobre doenças pulmonares ambientais

Por

Abigail R. Lara

, MD, University of Colorado

Última revisão/alteração completa mai 2020| Última modificação do conteúdo mai 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

As doenças pulmonares ambientais são causadas ​​por partículas, poeiras, vapores ou gases nocivos que são inalados, geralmente enquanto as pessoas trabalham. Se a doença pulmonar for causada por partículas inaladas, o termo pneumoconiose é utilizado frequentemente.

O local em que uma substância inalada se aloja, seja no interior das vias respiratórias ou pulmões, e o tipo de doença pulmonar que pode se desenvolver dependem do tamanho e do tipo das partículas inaladas. Partículas grandes podem ficar presas no nariz ou grandes vias aéreas, mas partículas muito pequenas podem chegar aos pulmões. Nos pulmões, algumas partículas se dissolvem e podem ser absorvidas para a corrente sanguínea. A maioria das partículas sólidas que não se dissolvem são removidas pelas defesas do corpo.

O corpo tem vários meios de eliminar as partículas inaladas (veja também Mecanismos de defesa do sistema respiratório). Nas vias respiratórias, uma acumulação de secreções (muco) reveste as partículas para que elas possam ser expelidas mais facilmente. Além disso, as células que revestem as vias respiratórias possuem filamentos minúsculos chamados cílios que se projetam para dentro dessas vias e estes filamentos são capazes de varrer as partículas inaladas para cima e para fora dos pulmões. Nos pequenos sacos de ar dos pulmões (alvéolos), células depuradoras especiais (macrófagos) fagocitam a maioria das partículas e as torna inofensivas.

Muitos tipos diferentes de partículas podem danificar os pulmões. Algumas são orgânicas, o que significa que elas são feitas de materiais que contêm carbono e fazem parte de organismos vivos (como poeira de cereais, poeira de algodão ou pelos de animais). Algumas são inorgânicas, o que significa que elas geralmente vêm de fontes não vivas, como metais ou minerais (por exemplo, amianto ou sílica).

Risco de doença pulmonar ambiental

Diferentes tipos de partículas produzem reações diferentes no corpo. Algumas partículas — pelos de animais, por exemplo — podem causar reações alérgicas, como sintomas semelhantes aos da febre do feno ou um tipo de asma. Outras partículas não causam danos por desencadear reações alérgicas, mas por serem tóxicas para as células das vias respiratórias e sacos de ar nos pulmões. Algumas partículas, como pó de quartzo e amianto, podem provocar irritação crônica, o que pode provocar a formação de cicatrizes no tecido pulmonar (fibrose pulmonar). Certas partículas tóxicas, como o amianto, podem causar câncer de pulmão, especialmente em pessoas que fumam, ou câncer do revestimento do tórax e pulmões (mesotelioma), independentemente do histórico de tabagismo da pessoa.

O tipo específico de doença pulmonar ambiental depende do ambiente ao qual a pessoa é exposta:

Em pessoas que já apresentam doenças pulmonares como doença pulmonar obstrutiva crônica ou asma, a exposição a substâncias no ambiente pode piorar os sintomas mesmo que a substância em si não cause doença pulmonar.

Tabela
icon

Trabalhadores em risco de doença pulmonar ambiental

Doença

Trabalhadores afetados

Profissionais da construção civil e pessoas que realizam reformas em casa responsáveis por instalar ou remover materiais (incluindo de isolamento) que contêm amianto

Profissionais de estaleiros

Profissionais de minas, moinhos ou que atuam na fabricação de amianto

Pneumoconiose

Profissionais que manipulam bário

Mineiros de ferro

Profissionais que manipulam estanho

Soldadores

Profissionais aeroespaciais

Metalúrgicos (fundição)

Bronquiolite obliterante

Profissionais que manipulam condimentos (pulmão de manipuladores de pipoca)

Militares enviados ao Iraque ou Afeganistão

Profissionais que manipulam algodão, cânhamo, juta e linho

Profissionais que manipulam carvão

Profissionais que manipulam grafite

Profissionais de escritório quando o sistema de ar condicionado se contamina com certos fungos e bactérias

Profissionais que atuam em piscinas e spas (por causa de aspersões contaminadas)

Agricultores, profissionais que manipulam cogumelos, profissionais de moagem e profissionais da construção civil, criadores de aves, pessoas expostas a isocianatos (uretanos)

Pessoas que manipulam grãos, madeira de cedro vermelho ocidental, mamona, isocianatos (uretanos), corantes, antibióticos, resinas epóxi, chás e enzimas usadas na fabricação de detergentes, malte, artigos de couro, látex, joias, produtos abrasivos e tintas usadas no reparo de peças de automóveis, bem como pessoas que lidam com animais, moluscos e gases, vapores e névoas irritantes.

Militares enviados ao Iraque ou Afeganistão

Alguns mineiros de carvão (por exemplo, aqueles que atuam na perfuração ou explosão de rochas)

Profissionais de fundição

Mineiros de chumbo, cobre, prata e ouro

Ceramista

Profissionais que manipulam jateadores de areia

Cortadores de arenito ou granito

Fabricantes de lápides

Profissionais que atuam em túneis

Profissionais que fabricam sabonetes abrasivos

Profissionais que fabricam ou instalam bancadas fabricadas a partir de silicatos modificados

Asma dos manipuladores de silo

Agricultores

Sintomas

As doenças pulmonares ambientais tendem a causar sintomas semelhantes àqueles de muitos outros distúrbios pulmonares, como dificuldade respiratória e, algumas vezes, tosse ou dor torácica. No caso de alguns distúrbios (por exemplo, pneumoconiose dos trabalhadores das minas de carvão), os sintomas podem não ocorrer imediatamente e podem se desenvolver ao longo de meses ou anos. As doenças pulmonares ambientais, que estreitam os pulmões e vias aéreas quando a pessoa respira ar que contém agentes irritantes e outras substâncias (denominado hiperreatividade das vias aéreas), podem causar uma dificuldade respiratória súbita, com sibilos, e crises (exacerbações) dessas doenças em pessoas com asma ou DPOC.

As doenças pulmonares ambientais, que causam problemas crônicos e repetidos, aumentam o risco de desenvolvimento de doenças pulmonares crônicas (como DPOC ou doenças pulmonares intersticiais) e uma diminuição permanente da função pulmonar. Algumas doenças pulmonares ambientais causam outros sintomas e complicações.

Diagnóstico

  • Testes de função pulmonar

  • Diagnóstico por imagem

Ferramentas diagnósticas específicas são usadas para identificar doenças pulmonares ambientais. Como passo inicial na avaliação, o médico pergunta sobre o trabalho e outras atividades que possam estar associadas à exposição a irritantes pulmonares. Testes de função pulmonar e exames de imagem, como radiografias torácicas e tomografia computadorizada (TC), são realizados na maioria dos casos.

Prevenção

A prevenção das doenças pulmonares ocupacionais e ambientais, particularmente no local de trabalho, inclui passos para limitar a exposição, incluindo

  • Controles administrativos, como limitar o número de pessoas expostas

  • Controles de engenharia, como o uso de sistemas de ventilação, áreas fechadas e procedimentos de limpeza seguros

  • Substituição do produto, como o uso de materiais mais seguros

  • Equipamentos de proteção, como o uso de respiradores, máscaras contra poeira e outros equipamentos

  • Controles educacionais, como ensinar os trabalhadores sobre os riscos e como limitar sua exposição

Respiradores e outras medidas fornecem certo grau de proteção; contudo, a proteção pode não ser completa e a proteção varia de pessoa para pessoa. Respiradores precisam ser verificados uma vez ao ano para assegurar seu encaixe adequado. Além disso, nem todas as pessoas conseguem seguir as medidas de proteção com facilidade. Por exemplo, respiradores podem limitar a capacidade de pessoas com distúrbios cardíacos ou pulmonares em executar as funções do seu trabalho.

Os médicos incentivam as pessoas que possam estar expostas a substâncias capazes de lesionar os pulmões a serem triadas regularmente, para que os distúrbios possam ser identificados o quanto antes. Os testes específicos de triagem e a frequência da triagem dependem das substâncias às quais a pessoa é exposta. A triagem pode incluir exames médicos e a medição da respiração da pessoa usando um espirômetro, além da medição da quantidade de oxigênio no sangue. Também podem ser feitos exames de imagem dos pulmões usando radiografias do tórax ou tomografia computadorizada (TC).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Síndrome da hemorragia alveolar difusa
A hemorragia alveolar difusa é uma síndrome de sangramento recorrente ou persistente para dentro dos pulmões. Qual das opções a seguir é a causa mais comum da síndrome da hemorragia alveolar difusa?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS