Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Considerações gerais sobre o sistema respiratório

Por

Rebecca Dezube

, MD, MHS, Johns Hopkins University

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jun 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

O corpo precisa produzir energia o suficiente para se manter vivo. A energia é produzida pela combustão das moléculas dos alimentos, por meio do processo de oxidação (em que as moléculas dos alimentos são combinadas com o oxigênio). A oxidação ocorre quando o carbono e o hidrogênio se misturam com o oxigênio para formar dióxido de carbono e água. O consumo de oxigênio e a produção de dióxido de carbono são, portanto, indispensáveis para a vida. Consequentemente, o corpo humano precisa de um sistema orgânico com a função de eliminar o dióxido de carbono do sangue circulante e absorver oxigênio da atmosfera a uma velocidade rápida o suficiente para suprir as necessidades do corpo, mesmo durante momentos de exercício intenso. O sistema respiratório permite a entrada do oxigênio e a saída do dióxido de carbono do corpo.

O sistema respiratório começa no nariz e na boca e continua pelas vias aéreas e pulmões. O ar entra no sistema respiratório pelo nariz e boca, passando pela garganta (faringe) e caixa de voz ou laringe. A entrada da laringe é coberta por uma pequena aba de tecido (epiglote) que se fecha automaticamente durante a deglutição, impedindo a entrada de alimentos ou líquidos nas vias aéreas.

A traqueia é a maior via aérea. Os ramos da traqueia se bifurcam em duas vias aéreas menores: os brônquios direito e esquerdo, que levam aos dois pulmões.

Cada pulmão é dividido em seções (lobos): três no pulmão direito e dois no pulmão esquerdo. O pulmão esquerdo é um pouco menor que o pulmão direito, uma vez que ele divide o espaço ao lado esquerdo do tórax com o coração.

Inside the Lungs and Airways

Inside the Lungs and Airways

Os próprios brônquios se ramificam várias vezes em vias aéreas menores, terminando nas vias aéreas mais estreitas (os bronquíolos), que têm apenas meio milímetro de diâmetro. As vias aéreas se assemelham a uma árvore invertida, fazendo com que esta parte do sistema respiratório seja também chamada de árvore brônquica. As grandes vias aéreas se mantêm abertas por um tecido conjuntivo fibroso semiflexível, chamado de cartilagem. As vias aéreas menores são sustentadas pelo tecido do pulmão, que as envolve e ao qual estão ligadas. As paredes das vias aéreas menores têm uma camada circular e fina de músculos lisos. Os músculos das vias aéreas podem relaxar ou contrair, mudando assim o tamanho das vias aéreas.

Na extremidade de cada bronquíolo há milhares de pequenos sacos de ar (alvéolos). Juntos, os milhões de alvéolos pulmonares formam uma superfície de mais de 100 metros quadrados. Dentro das paredes alveolares existe uma densa rede de minúsculos vasos sanguíneos chamados de vasos capilares. A barreira extremamente fina entre o ar e os vasos capilares permite que o oxigênio passe dos alvéolos para o sangue e o dióxido de carbono do sangue nos vasos capilares passe para o ar nos alvéolos.

A pleura é uma membrana escorregadia que reveste os pulmões e o interior da parede torácica. Ela permite que os pulmões se movam suavemente durante a respiração e quando a pessoa se movimenta. Normalmente, existe apenas uma pequena quantidade de líquido lubrificante entre as duas camadas da pleura. Essas duas camadas deslizam suavemente uma sobre a outra quando os pulmões sofrem alterações de tamanho e forma.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS