Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Olhos lacrimejantes

(Excesso de lágrimas)

Por

Christopher J. Brady

, MD, Wilmer Eye Institute, Retina Division, Johns Hopkins University School of Medicine

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O excesso de lágrimas pode causar uma sensação de olhos úmidos ou resultar em lágrimas descendo pelo rosto. Outros sintomas, como irritação ou dor, podem ocorrer dependendo da causa.

A maior parte das lágrimas são produzidas nas glândulas lacrimais localizadas acima da parte externa da pálpebra superior. As lágrimas correm pelo olho e drenam pelos pequenos orifícios nos cantos internos das pálpebras próximos ao nariz (ponto superior e inferior) até um pequeno canal (o canalículo). Depois correm para o saco lacrimal e através do duto nasolacrimal para dentro do nariz. Qualquer obstrução ao longo do caminho de drenagem da lágrima pode levar a um olho lacrimejante. A obstrução também predispõe a infecção do saco lacrimal (dacriocistite). Algumas vezes tal infecção pode se disseminar para os tecidos em torno dos olhos (celulite periorbital).

De onde vêm as lágrimas

De onde vêm as lágrimas

Causas

Olhos lacrimejantes podem ser resultantes de um aumento de produção de lágrimas ou obstrução de drenagem de lágrimas (consulte a tabela Algumas causas e características de olhos lacrimejantes).

Causas comuns de olhos lacrimejantes são

  • Infecções respiratórias das vias superiores

  • Alergias que afetam o nariz (rinite alérgica), olhos (conjuntivite alérgica), ou ambos

Outras causas são

  • Olhos secos (a superfície seca do olho fica irritada, as glândulas lacrimais produzem lágrimas de "reflexo" e, assim, surpreendentemente, os olhos secos provocam olhos lacrimejantes)

  • Cílios voltados para dentro que roçam no globo ocular (triquíase)

  • Pálpebra voltada para fora (ectrópio) que move o ponto lacrimal para fora da sua posição normal próxima ao globo ocular de modo a não conseguir drenar as lágrimas

  • Estreitamento dos dutos lacrimais relacionado à idade, chamado dacriostenose adquirida

  • Infecções crônicas no saco lacrimal, chamado dacriocistite

Alguma doença que irrita a córnea (a camada transparente na frente da íris e da pupila) pode aumentar a produção de lágrimas. No entanto, a maioria das pessoas com doenças da córnea que causam olhos lacrimejantes (como cicatriz ou ferida na córnea, objeto estranho no olho, ou inflamação da córnea) tem dor significativa, vermelhidão e/ou sensibilidade à luz, que são os motivos comuns para se procurar atendimento médico.

Tabela
icon

Algumas causas e características de olhos lacrimejantes

Causa

Características comuns*

Doenças que causam excesso de produção lacrimal

Lacrimejamento que piora quando exposto ao tempo frio ou com vento, fumaça de cigarro ou calor seco

Sensação de ter alguma coisa no olho (objeto [corpo] estranho no olho) que vai e vem, principalmente quando chega o fim do dia

Irritação da superfície do olho devido a

  • Conjuntivite (inflamação da membrana que reveste a parte posterior da pálpebra e cobre o branco do olho) causada por alergia, produtos químicos ou infecção

  • Blefarite (inflamação das bordas das pálpebras)

  • Entrópio (a inversão da pálpebra para dentro) e triquíase (inversão dos cílios para dentro)

  • Arranhões na córnea e corpo estranho (arranhões ou objetos estranhos envolvendo a superfície do domo transparente na superfície frontal dos olhos)

Vermelhidão ocular

Nas pessoas com conjuntivite alérgica, coceira

Nas pessoas com a pálpebra e cílios voltados para dentro, a frequente sensação de granulação ou algo no olho

Em pessoas com arranhões ou um corpo estranho na córnea, dor, sensibilidade à luz e a sensação de ter areia ou alguma coisa no olho

Irritação nasal causada por alergia ou infecção do trato respiratório superior

Nariz escorrendo, espirros e congestão nasal

Doenças que impedem a drenagem das lágrimas

Dacriostenose congênita (bloqueio do duto lacrimal que está presente no nascimento)

Sintomas que surgem semanas depois do nascimento

Dacriostenose adquirida (estreitamento dos dutos lacrimais relacionado à idade)

Olhos lacrimejantes que aos poucos pioram com a idade

Entrópio (pálpebra voltada para dentro)

Quase sempre observados durante o exame

Dacriocistite (infecção do saco lacrimal)

Dor ou desconforto próximo ao canto do olho e na lateral do nariz

Quase sempre edema, vermelhidão, sensibilidade ao toque e calor na mesma área

Ectrópio (pálpebra voltada para fora)

Quase sempre observados durante o exame

Normalmente em idosos

Algumas vezes um nódulo duro próximo ao saco lacrimal

Outras causas (como lesões ou medicamentos)

Quase sempre em pessoas que sabem ter tais causas

* As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

Avaliação

Nem todo caso de olhos lacrimejantes exige um exame médico. As informações a seguir podem ajudar as pessoas a decidir quando a avaliação médica é necessária e a saber o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Em algumas pessoas com olhos lacrimejantes, alguns sintomas e características são motivos de preocupação. Incluem

  • Episódios repetidos e inexplicados de olhos vermelhos e lacrimejantes

  • Massa rígida no duto lacrimal ou próxima a ele

Quando consultar um médico

Pessoas com sinais de alerta devem procurar um médico no máximo em uma semana. As pessoas que se sentem incomodadas com os olhos lacrimejantes devem procurar um médico, mas se demorarem algumas semanas não será prejudicial.

O que o médico faz

Primeiro, o médico faz perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, o médico faz um exame físico. O que eles identificam no histórico e exame físico frequentemente sugere uma causa para os olhos lacrimejantes e os exames que podem ser necessários (consulte a tabela Algumas causas e características de olhos lacrimejantes).

Ele pergunta se a pessoa tem

  • Coceira, nariz escorrendo ou espirros (principalmente depois de exposta a um alérgeno)

  • Irritação, vermelhidão ou dor nos olhos

  • Dor ou desconforto com edema ou vermelhidão próximos ao canto interno do olho

  • Outros sintomas (por exemplo, dor de cabeça, falta de ar, tosse, febre ou erupção cutânea)

  • Se teve lesões, infecções, queimaduras, radioterapia ou procedimentos cirúrgicos envolvendo os olhos, nariz e seios da face

  • Ter tomado um medicamento que possa ser a causa dos olhos lacrimejantes (como medicamentos para quimioterapia ou colírios contendo ecotiofato, epinefrina ou pilocarpina)

Em seguida, o médico faz um exame físico. O exame físico se concentra no rosto, principalmente nos olhos e nariz. O médico examina as lágrimas que descem pelo rosto. Também examina as pálpebras, os pontos lacrimais e a área interna dos cantos dos olhos. A superfície do olho é examinada com uma lâmpada de fenda que permite ao médico examinar o olho em alta resolução. O nariz é examinado quanto à congestão, obstruções, pus, secreção e sangramento.

Exames

Os médicos costumam determinar a causa com base nos resultados do histórico e do exame físico. Em geral não são necessários exames. Se forem necessários exames, a pessoa é encaminhada a um oftalmologista (médico especializado na avaliação e tratamento—cirúrgico e não cirúrgico—de doenças oculares).

Alguns exames são feitos no consultório do oftalmologista. O médico pode inserir uma pequena sonda no ponto lacrimal e também na canícula para tentar detectar a obstrução. Podem também lavar com cuidado a canícula e ver se o líquido é drenado para dentro do nariz como deve ser feito.

Muitas vezes são realizados exames e procedimentos por imagem (imagem dos dutos lacrimais, tomografia computadorizada [TC] ou exame do interior do nariz com um tubo flexível de observação [endoscopia nasal]).

Tratamento

  • Tratamento de outras causas

  • Algumas vezes, lágrimas artificiais

  • Medidas para abrir dutos lacrimais obstruídos

Doenças de base são tratadas. Por exemplo, o médico pode prescrever um corticosteroide nasal se a causa for rinite alérgica.

Também pode recomendar o uso de lágrimas artificiais para diminuir o lacrimejamento quando a causa for olhos secos ou irritação da superfície do olho.

Em bebês com dutos lacrimais obstruídos, a obstrução pode se resolver sem tratamento ao longo do crescimento do bebê. Até que a criança chegue ao primeiro ano de idade, o médico costuma sugerir que os pais massageiem o saco lacrimal 4 a 5 vezes por dia para ajudar a liberar a obstrução. Se a obstrução não for liberada até que a criança complete um ano de idade, o médico pode realizar um procedimento para abrir os dutos. A criança recebe um anestésico e o médico insere uma pequena sonda no duto lacrimal para passar pela obstrução.

Em crianças com dutos lacrimais obstruídos, o médico primeiro tenta inserir a sonda no duto lacrimal. Se a obstrução persiste, pode ser necessário inserir um pequeno tubo de plástico através do duto lacrimal que durante alguns meses manterá aberta a via de drenagem.

Em adultos com dutos lacrimais obstruídos, o médico primeiro tenta outros métodos para tratar a doença de base. Se tais métodos não funcionarem, pode ser necessário recorrer à cirurgia para criar um novo caminho de drenagem para as lágrimas.

Informações essenciais para idosos

Com a idade, os dutos lacrimais vão se estreitando (dacriostenose adquirida). Tal estreitamento é causa comum de olhos lacrimejantes sem causa aparente em pessoas de idade. No entanto, também é possível a completa obstrução do duto lacrimal. Raramente a causa poderá ser um tumor no saco lacrimal.

Pontos-chave

  • Causas comuns de produção de lágrimas incluem olhos secos, pálpebras voltadas para dentro ou para fora, infecção, e estreitamento ou obstrução da via de drenagem das lágrimas.

  • Se houver necessidade de exames, isso poderá ser feito no consultório do oftalmologista.

  • Outros exames, como dacriocintilografia ou dacriocistografia (imagens dos canais lacrimais) ou uma tomografia computadorizada, são necessários quando exames feitos no consultório não revelam a causa ou o médico suspeita de um tumor.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Degeneração macular
Vídeo
Degeneração macular
A degeneração macular, comumente referida como ARMD ou degeneração macular associada à idade...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Neurite óptica
Modelo 3D
Neurite óptica

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS