Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Cobre

Por

Larry E. Johnson

, MD, PhD, University of Arkansas for Medical Sciences

Última revisão/alteração completa nov 2018| Última modificação do conteúdo nov 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

A maior parte do cobre do organismo está localizada no fígado, nos ossos e nos músculos, mas existem vestígios de cobre em todos os tecidos. O fígado excreta o excesso de cobre na bile para ser eliminado do organismo. O cobre é um componente de muitas enzimas, incluindo aquelas que são necessárias para:

  • A produção de energia

  • A formação dos glóbulos vermelhos, dos ossos ou do tecido conjuntivo (que une outros tecidos e órgãos)

  • Ação antioxidante (ajuda a proteger as células contra danos causados pelos radicais livres, que são subprodutos reativos da atividade celular normal)

A deficiência de cobre pode ser adquirida ou hereditária.

O excesso (toxicidade) de cobre também pode ser adquirido ou hereditário (assim como a doença de Wilson).

Deficiência de cobre

A deficiência de cobre é rara nas pessoas saudáveis. Ela ocorre com mais frequência em bebês

  • Prematuros

  • Em recuperação de desnutrição grave

  • Que apresentam diarreia persistente

Alguns lactentes do sexo masculino herdam uma anomalia genética que causa deficiência de cobre. Esse transtorno é chamado de síndrome de Menkes.

Em adultos, a deficiência de cobre pode ser causada por

  • Distúrbios que prejudicam a absorção de nutrientes (distúrbios de má absorção, como a doença celíaca, a doença de Crohn, a fibrose cística ou espru tropical)

  • Cirurgia para perda de peso (bariátrica)

  • Consumo de muito zinco, que reduz a absorção de cobre

(Ver também Doença de Wilson.)

Sintomas

Os sintomas da deficiência de cobre incluem fadiga, anemia e um número reduzido de glóbulos brancos. Às vezes, há surgimento de osteoporose ou danos aos nervos. Dano aos nervos podem causar formigamento e perda de sensibilidade nos pés e nas mãos. Pode haver fraqueza muscular. Algumas pessoas sentem confusão, irritabilidade e depressão leve. A coordenação é prejudicada.

A síndrome de Menkes provoca deficiência intelectual grave, vômitos e diarreia. A pele não tem pigmentação, e o cabelo é ralo, com aspecto de palha de aço ou enrolado. Os ossos podem ser fracos e malformados, e as artérias são frágeis, às vezes se rompendo.

Diagnóstico

  • Avaliação médica

  • Exames de sangue

O diagnóstico de deficiência de cobre baseia-se nos sintomas e em exames de sangue que detectam baixos níveis de cobre e ceruloplasmina (proteína transportadora de cobre).

O diagnóstico e o tratamento precoce da deficiência de cobre parecem gerar os melhores resultados.

Tratamento

  • Tratamento da causa

  • Suplementação ou injeção de cobre

A causa é tratada, e um suplemento de cobre é administrado por via oral.

No caso de lactentes com síndrome de Menkes, o cobre é injetado sob a pele (via subcutânea). Apesar do tratamento, crianças com síndrome de Menkes normalmente morrem antes de completarem dez anos de idade.

Excesso de cobre

O consumo excessivo de cobre é raro. As pessoas podem consumir pequenas quantidades de cobre em excesso em alimentos ácidos ou bebidas acondicionadas em recipientes, canos ou válvulas de cobre por muito tempo.

O consumo de quantidades bem pequenas de cobre pode provocar náuseas, vômitos e diarreias. Grandes quantidades, normalmente ingeridas por pessoas que pretendem cometer suicídio, podem danificar os rins, inibir a produção de urina e causar anemia devido à ruptura dos glóbulos vermelhos (anemia hemolítica), podendo até levar à morte.

Danos ao fígado ou cirrose raramente ocorrem em crianças. Isso resulta, provavelmente, de beber leite que tenha sido fervido ou armazenado em recipientes corroídos feitos de cobre ou latão.

Diagnóstico

  • Exames de sangue ou urina

  • Biópsia hepática

Os médicos medem os níveis de cobre e ceruloplasmina no sangue ou na urina. No entanto, uma biópsia do fígado normalmente é necessária para o diagnóstico, a menos que grandes quantidades de cobre tenham sido consumidas.

Tratamento

  • Bombeamento do estômago

  • Injeção de dimercaprol em um músculo

  • Penicilamina

  • Hemodiálise

Se grandes quantidades de cobre foram consumidas, é feita uma lavagem estomacal.

Se a toxicidade por cobre tiver causado problemas como anemia ou danificado os rins ou o fígado, é injetado dimercaprol em um músculo, ou um medicamento que se liga ao cobre, tal como a penicilamina, é administrado para remover o excesso de cobre. Crianças com danos no fígado são tratadas com penicilamina.

Se usada no início, uma hemodiálise (um procedimento que filtra o sangue) pode ser eficaz.

Ocasionalmente, o óbito ocorre apesar do tratamento.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre vitaminas e minerais
Vídeo
Considerações gerais sobre vitaminas e minerais
O corpo humano precisa de várias vitaminas e minerais para se desenvolver. Muitos desses nutrientes...

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS