Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Perda auditiva súbita

Por

Lawrence R. Lustig

, MD, Columbia University Medical Center and New York Presbyterian Hospital

Última revisão/alteração completa mar 2019| Última modificação do conteúdo mar 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A perda auditiva súbita é a perda moderada a grave da audição, que progride em poucas horas, ou é verificada ao acordar. Tal perda auditiva normalmente afeta apenas um ouvido (a não ser que a causa seja um fármaco). Dependendo da causa da perda auditiva súbita, as pessoas podem ter outros sintomas, tais como zumbido nos ouvidos (acufeno), tonturas ou a falsa sensação de estar rodando ou se movendo (vertigem). Cerca de uma a cada 5.000 até uma a cada 10.000 pessoas a cada ano desenvolvem perda auditiva súbita. Para perda auditiva que se desenvolve gradualmente, consulte Perda auditiva.

Causas

As causas da perda auditiva súbita encontram-se em três categorias gerais:

  • Causa desconhecida

  • Um evento claramente explicativo (como infecção cerebral ou lesão na cabeça)

  • Uma doença subjacente

Causa desconhecida

Na maioria das pessoas, nenhuma causa pode ser encontrada para a perda auditiva súbita. Entretanto, os médicos têm várias teorias. As possíveis causas incluem infecções virais (particularmente infecções pelo vírus herpes simplex), um ataque no ouvido interno ou respectivos nervos pelo sistema imunológico da pessoa (reação autoimune) e bloqueio de pequenos vasos sanguíneos no ouvido interno ou dos vasos sanguíneos de seus nervos. Talvez diferentes causas afetem diferentes pessoas.

Eventos óbvios

Em muitas outras pessoas, a causa para a perda auditiva súbita é óbvia. Tais causas incluem

Um traumatismo craniano (como uma fratura do osso temporal no crânio, ou, por vezes, uma concussão grave sem fratura) pode lesionar o ouvido interno e causar perda auditiva súbita.

Mudanças intensas de pressão (como as que podem ocorrer durante um mergulho, ou, menos frequentemente, ao exagerar realizando levantamento de pesos) podem produzir um buraco (fístula) entre o ouvido médio e o interno. Por vezes, tal fístula é de nascença e pode causar espontaneamente a perda súbita da audição ou tornar a pessoa mais suscetível à perda da audição quando houver uma lesão na cabeça ou for submetida a mudanças de pressão.

Medicamentos ototóxicos são os que têm como efeitos colaterais as lesões dos ouvidos. Alguns fármacos podem causar rapidamente a perda da audição, por vezes em um dia (especialmente com uma superdosagem). Algumas pessoas têm uma doença genética rara que as faz mais suscetíveis à perda auditiva provocada pela classe de antibióticos chamados de aminoglicosídeos. Todas as pessoas que tomam esses antibióticos devem fazer exames de sangue enquanto estiverem tomando o medicamento para monitorar quanto a níveis tóxicos capazes de causar perda de audição. As pessoas que estiverem recebendo medicamentos que são excretados na urina, como aminoglicosídios, também devem ter a função renal avaliada e monitorada para evitar lesão renal.

Várias infecções causam perda auditiva súbita, durante ou imediatamente após a doença aguda. Essas infecções incluem meningite bacteriana, doença de Lyme e muitas infecções virais. As causas virais mais comuns no mundo desenvolvido são caxumba e infecção no cérebro por herpes simplex. É muito raro que o sarampo seja a causa, porque a maioria das pessoas está imunizada contra a infecção.

Doenças subjacentes

A perda auditiva súbita raramente pode ser o primeiro sintoma de algumas doenças que normalmente têm outros sintomas iniciais. Tais doenças incluem um tumor do nervo auditivo, chamado neuroma acústico, esclerose múltipla, doença de Ménière ou um pequeno AVC devido a um bloqueio no ramo arterial que irriga o centro de equilíbrio do cérebro (o cerebelo). Algumas vezes, uma infecção por sífilis é reativada em pessoas com infecção por HIV. Esta reativação pode causar perda auditiva súbita.

Doenças mais raras incluem a síndrome de Cogan, na qual uma reação autoimune ataca o ouvido interno (e também a superfície do olho), certas doenças envolvendo inflamação dos vasos sanguíneos (vasculite) e doenças do sangue como a macroglobulinemia de Waldenström, anemia falciforme e algumas formas de leucemia.

Avaliação

As informações a seguir podem ajudar as pessoas a decidir quando a avaliação médica é necessária e a saber o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Uma perda auditiva é por si só um sinal de alerta.

Quando consultar um médico

Qualquer pessoa com perda auditiva súbita deve procurar o médico de imediato, porque algumas das causas devem ser tratadas rapidamente. Se outros sintomas de disfunção do sistema nervoso além de perda auditiva estiverem presentes, a perda auditiva pode ser um sintoma de disfunção nervosa ou cerebral.

O que o médico faz

Primeiro, o médicos faz pergunta sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que eles descobrirem durante o histórico e o exame físico poderá sugerir a causa da perda auditiva súbita e os exames que poderão ser necessários.

Os médicos notam quando a perda de audição afeta um ou ambos os ouvidos e se tiver ocorrido um evento específico, como lesão da cabeça, lesão por mergulho, ou uma doença infecciosa. Eles perguntam acerca de sintomas concomitantes, que envolvem o ouvido (como zumbido nos ouvidos ou secreção no ouvido), centro de equilíbrio (como desorientação no escuro ou vertigem) e outras partes do cérebro e do sistema nervoso (como dor de cabeça, fraqueza ou alterações gustativas). Eles tentam identificar se as pessoas estão tomando (ou tomaram recentemente) algum medicamento ototóxico.

O exame físico é dirigido aos ouvidos, à audição e ao exame do sistema nervoso.

Tabela
icon

Algumas causas e características da perda auditiva súbita

Causa

Características comuns*

Exames

Desconhecido

Surdez em um único ouvido

Nenhum outro sintoma

RM usando contraste (gadolínio)

Causas óbvias

Surdez em um ou em ambos os ouvidos

Em pessoas com uma doença grave, aguda

Frequentemente, dor de cabeça e confusão mental

Na doença de Lyme, a surdez é precedida por uma erupção cutânea típica e por sintomas semelhantes aos de um resfriado

Na caxumba, dor no queixo e inchaço

Se ainda não tiverem sido feitos, exames de sangue e punção espinhal (punção lombar)

Audiograma

Surdez geralmente em um único ouvido

Algumas vezes, líquido (sanguinolento, tingido de sangue ou límpido) sai do ouvido afetado

TC e/ou RM

Mudanças de pressão (como podem ocorrer durante um mergulho)

Surdez em um ou em ambos os ouvidos

Início súbito durante a atividade causadora (por exemplo, mergulho e descida rápida em um avião) ou após uma pancada no ouvido

Algumas vezes, acompanhada por dor, um som de explosão, tontura ou zumbido

Timpanometria (colocação de um aparelho no ouvido para medir quão bem o som passa através do ouvido)

Teste de equilíbrio com eletronistagmografia (um exame para registrar os movimentos involuntários do olho, causados por um quadro conhecida como nistagmo)

TC ou RM

Medicamentos que podem lesionar o ouvido (medicamentos ototóxicos) incluem

  • Aspirina

  • Aminoglicosídeos (como gentamicina ou tobramicina)

  • Vancomicina

  • Cisplatina

  • Furosemida

  • Ácido etacrínico

  • Quinino

Surdez em ambos os ouvidos

Algumas vezes, tonturas e perda de equilíbrio

Em pessoas que começaram recentemente a tomar ou que tomaram recentemente um medicamento ototóxico

Exame médico

Às vezes, níveis de medicamentos no sangue

Doenças subjacentes

Neuroma acústico (um tumor do nervo auditivo)

Surdez em um único ouvido

Geralmente, tontura ou a falsa sensação de estar rodando ou se movendo (vertigem) e perda do equilíbrio

Algumas vezes, flacidez dos músculos faciais e/ou dormência da face e anormalidade da gustação

RM usando contraste (gadolínio)

Doenças autoimunes, como alguns distúrbios sanguíneos, doenças que causam vasculite e a síndrome de Cogan

Surdez em um ou em ambos os ouvidos

Algumas vezes, dor nas articulações ou uma erupção cutânea

Exames de sangue

A surdez em apenas um ouvido ocorre em cerca de três quartos das pessoas

Às vezes, tontura e/ou zumbido no ouvido

RM usando contraste (gadolínio)

Surdez em um único ouvido

Algumas vezes, fraqueza ou dormências que vêm e vão e ocorrem em diferentes partes do corpo

RM usando contraste (gadolínio)

Às vezes, punção lombar

AVC (afetando o cerebelo)

Surdez em um único ouvido

Às vezes, dificuldades de equilíbrio ou coordenação

RM usando contraste (gadolínio)

Reativação de sífilis em pessoas com infecção por HIV

Surdez em um ou em ambos os ouvidos

Algumas vezes, fatores de risco para doenças sexualmente transmissíveis (como sexo sem proteção, múltiplos parceiros)

Exames de sangue

Algumas vezes, uma punção lombar

*As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes. As características se sobrepõem às causas.

Todo mundo deveria fazer uma audiometria.

Raramente, a perda auditiva súbita é o primeiro sintoma de uma doença que normalmente apresenta outros sintomas primeiro. Os sintomas típicos dessas doenças podem não estar presentes de maneira alguma. Entretanto, algumas pessoas menosprezam sintomas leves, que podem ser descobertos através das perguntas e dos exames cuidadosos feitos pelo médico.

TC = tomografia computadorizada; RM = ressonância magnética.

Exames

Normalmente, as pessoas devem fazer um audiograma (um exame auditivo). A menos que os médicos pensem que o problema é claramente devido a uma infecção aguda ou toxicidade medicamentosa, eles normalmente também fazem ressonância magnética (RM) ou tomografia computadorizada (TC) com o contraste gadolínio, quando a perda auditiva é maior em um dos ouvidos. São feitos outros exames baseados na causa mais provável. Por exemplo, uma pessoa que tenha sofrido uma lesão na cabeça deve fazer uma RM. Pessoas em risco de doenças sexualmente transmissíveis devem fazer exames de sangue para infecção por HIV e sífilis.

Tratamento

O tratamento é direcionado para qualquer causa conhecida da perda auditiva súbita. Quando a causa é desconhecida, muitos médicos tentam dar corticosteroides, juntamente com medicamentos antivirais eficientes contra herpes simples (como valaciclovir ou fanciclovir), mesmo que não existam evidências boas de que medicamentos antivirais sejam benéficos.

Quando a causa é desconhecida, cerca de metade das pessoas recupera a audição normal, e a outra metade a recupera parcialmente. A melhora, quando é alcançada, geralmente ocorre dentro de 10 a 14 dias. A recuperação de um medicamento ototóxico varia enormemente, dependendo do medicamento e da dose. Com alguns medicamentos (como aspirina e diuréticos), a audição retorna em 24 horas. Contudo, antibióticos e quimioterápicos geralmente causam perda auditiva permanente se as doses seguras forem excedidas.

Pontos-chave

  • Em geral não se sabe o porquê da perda auditiva súbita.

  • Poucas pessoas apresentam uma causa óbvia (como uma lesão grave na cabeça, ou infecção, ou o uso de medicamentos que podem prejudicar a audição).

  • O número de pessoas em que a perda auditiva súbita é o primeiro sinal de uma doença subjacente é muito pequeno.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Trompas do ouvido
Vídeo
Trompas do ouvido
Quando as ondas sonoras atingem os ouvidos, elas são captadas pelo ouvido externo em forma...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Glândulas salivares principais
Modelo 3D
Glândulas salivares principais

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS