Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre o sistema linfático

Por

James D. Douketis

, MD, McMaster University

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O sistema linfático constitui uma parte vital do sistema imunológico, juntamente com o timo, a medula óssea, o baço, as amígdalas, o apêndice e as placas de Peyer no intestino delgado.

Assim como o sistema venoso, o sistema linfático transporta líquidos por todo o corpo. O sistema linfático consiste em

  • Vasos linfáticos de paredes finas

  • Linfonodos

  • Dois dutos coletores

Os vasos linfáticos, localizados por todo o corpo, são maiores do que os capilares (os menores vasos sanguíneos que conectam artérias e veias) e, em sua maioria, menores do que as menores veias. Quase todos os vasos linfáticos têm válvulas semelhantes às das veias, para que a linfa, que pode coagular, circule em sentido único (em direção ao coração). Os vasos linfáticos drenam um líquido chamado linfa dos tecidos de todo o corpo.

A linfa começa como um líquido que se difundiu pelas paredes finíssimas dos capilares para o espaço entre as células. A maior parte do líquido é reabsorvida nos capilares e o restante é drenado para os vasos linfáticos que acabam por devolvê-lo para as veias. A linfa também contém muitas outras substâncias incluindo

  • Proteínas, minerais, nutrientes e outras substâncias que fornecem nutrientes aos tecidos

  • Células danificadas, células cancerosas e partículas estranhas (como bactérias e vírus) que podem ter penetrado no líquido tecidual

Os linfonodos são os centros de coleta da linfa. Toda a linfa passa por linfonodos estrategicamente localizados, que filtram células lesionadas, células cancerosas e partículas estranhas, removendo-as da linfa. Os linfonodos também contêm glóbulos brancos especializados (por exemplo linfócitos e macrófagos) cuja função é envolver e destruir células danificadas, células cancerosas, organismos infecciosos e partículas estranhas. Assim, as principais funções do sistema linfático são eliminar do organismo as células danificadas e fornecer proteção contra a propagação de infecções e desenvolvimento de câncer.

Os vasos linfáticos drenam para os canais coletores, que esvaziam seu conteúdo nas duas veias subclávias, localizadas sob as clavículas. Essas veias unem-se para formar a veia cava superior, a grande veia que drena o sangue da parte superior do corpo até o coração.

Sistema linfático: Ajuda a proteger contra as infecções

O sistema linfático constitui uma parte vital do sistema imunológico, juntamente com o timo, a medula óssea, o baço, as amígdalas, o apêndice e as placas de Peyer no intestino delgado.

O sistema linfático consiste de uma rede de gânglios linfáticos que se encontram ligados pelos vasos linfáticos. Este sistema transporta a linfa por todo o organismo.

A linfa é composta por um fluido que penetra os tecidos do organismo através das paredes finas dos capilares. Este fluido contém oxigênio, proteínas, e outros nutrientes que nutrem os tecidos. Uma parte deste fluido volta a entrar nos capilares e outra parte entra nos vasos linfáticos (tornando-se a linfa). Pequenos vasos linfáticos se conectam a vasos maiores acabando por formar o canal torácico. O canal torácico é o maior vaso linfático. Junta-se à veia subclávia e assim devolve a linfa na corrente sanguínea.

A linfa também transporta, para eliminação, substâncias estranhas (como bactérias), células cancerígenas e células mortas ou danificadas que podem estar presentes nos tecidos dentro dos vasos linfáticos e nos órgãos linfáticos. A linfa contém muitos glóbulos brancos.

Todas as substâncias transportadas pela linfa passam por pelo menos um gânglio linfático, onde as substâncias estranhas podem ser filtradas e destruídas antes dos fluidos serem devolvidos na corrente sanguínea. Nos linfonodos, os glóbulos brancos podem se reunir, interagir uns com os outros e com os antígenos e gerar respostas imunológicas às substâncias estranhas. Os linfonodos contêm uma rede de tecidos repletos de células B, células T, células dendríticas e macrófagos. Os micro-organismos prejudiciais são filtrados por esta rede e, então, identificados e atacados pelas células B e pelas células T.

Os linfonodos costumam agrupar-se em zonas em que os vasos linfáticos se ramificam, como o pescoço, as axilas e as virilhas.

Sistema linfático: Ajuda a proteger contra as infecções

Distúrbios do sistema linfático

O sistema linfático pode não realizar sua função adequadamente devido a

  • Bloqueio (obstrução): a obstrução do sistema linfático resulta em acúmulo de líquido (linfedema). A obstrução pode resultar de tecido cicatricial que surge quando os vasos ou nódulos linfáticos são danificados ou retirados durante uma cirurgia, por radioterapia, por lesão ou, em países tropicais, por infecção por um nemátodo (filaríase) que bloqueia os dutos linfáticos.

  • Infecção: uma infecção pode causar inchaço dos linfonodos porque estes ficam inflamados. Às vezes, os próprios linfonodos podem ficar infeccionados (linfadenite) por organismos que se espalham pelo sistema linfático a partir do local de infecção original.

  • Câncer: os tumores podem bloquear os dutos linfáticos ou podem viajar (formar metástases) até os linfonodos próximos a um tumor, interferindo no fluxo de líquido linfático pelo nódulo. Em casos raros, pode-se desenvolver um tumor (linfangiosarcoma) no sistema linfático.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre o coração e os vasos sanguíneos
Vídeo
Considerações gerais sobre o coração e os vasos sanguíneos
Modelos 3D
Visualizar tudo
Pulso arterial
Modelo 3D
Pulso arterial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS