Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Considerações gerais sobre a má absorção

Por

Atenodoro R. Ruiz, Jr.

, MD, The Medical City, Pasig City, Philippines

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A síndrome da má absorção refere-se a diversos distúrbios em que os nutrientes dos alimentos não são absorvidos de forma adequada no intestino delgado.

  • Certos distúrbios, infecções e procedimentos cirúrgicos podem causar má absorção.

  • A má absorção causa diarreia, perda de peso e fezes volumosas e excepcionalmente fétidas.

  • O diagnóstico é baseado nos sintomas característicos, juntamente com exame de amostra de fezes e, às vezes, uma biópsia do revestimento do intestino delgado.

  • O tratamento depende da causa.

Causas

Normalmente, os alimentos são digeridos e os nutrientes (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais) são absorvidos e entram na corrente sanguínea, sobretudo no intestino delgado.

A má absorção pode ocorrer se um distúrbio

  • Afetar a digestão de alimentos

  • Afetar a absorção de nutrientes

Problemas digestivos

A digestão dos alimentos pode ser afetada por

  • Distúrbios que impedem a mistura adequada dos alimentos com as enzimas digestivas e ácidos gástricos

  • Produção ineficiente de enzimas digestivas

  • Redução da produção de bile

  • Excesso de ácido gástrico

  • Crescimento do tipo errado de bactéria no intestino delgado

A mistura inadequada pode ocorrer em pessoas que sofreram extração cirúrgica de parte do estômago.

Em alguns distúrbios, o corpo produz quantidades ou tipos inadequados de enzimas digestivas necessárias à decomposição dos alimentos. Por exemplo, uma causa frequente de má absorção é a produção insuficiente de enzimas digestivas pelo pâncreas, que ocorre em algumas doenças pancreáticas, ou pelo intestino delgado, que ocorre na deficiência de lactase ({blank} Intolerância à lactose).

Redução da produção de bile, excesso de ácido no estômago ou proliferação de tipos inadequados de bactérias no intestino delgado ({blank} Síndrome de supercrescimento bacteriano) também podem afetar a digestão.

Problemas de absorção

A absorção de nutrientes na corrente sanguínea pode ser afetada por

  • Distúrbios que lesionam o revestimento do intestino delgado

  • Remoção cirúrgica de uma parte grande do intestino delgado

  • Distúrbios que afetam o fluxo do líquido linfático do intestino

O revestimento normal contém pequenas projeções denominadas vilosidades, e projeções ainda menores, denominadas microvilosidades, que criam uma enorme superfície de absorção. Tanto infecções (bacterianas, virais ou parasitárias) como distúrbios como, por exemplo, a doença celíaca e a doença de Crohn podem lesionar o revestimento intestinal.

A retirada cirúrgica de uma parte grande do intestino delgado diminui substancialmente a área de absorção (consulte síndrome do intestino curto).

Distúrbios que afetam o fluxo de líquido linfático do intestino para a corrente sanguínea (o caminho que as gorduras precisam percorrer para entrar na corrente sanguínea), como malformação de vasos linfáticos intestinais ({blank} Linfangiectasia intestinal), obstrução de vasos linfáticos devido a linfoma (câncer do sistema linfático) ou comprometimento da entrada de líquido linfático na corrente sanguínea devido a alguns distúrbios cardíacos, também reduzem a absorção.

Sintomas

Os sintomas da má absorção são causados pela maior passagem de nutrientes não absorvidos pelo trato digestivo ou pelas deficiências nutricionais que resultam de uma absorção inadequada.

O sintoma mais comum da má absorção é

  • Diarreia crônica

Quando ocorre a absorção inadequada das gorduras no trato digestivo, as fezes ficam com cor clara, moles, volumosas, gordurosas e excepcionalmente fétidas (esteatorreia). As fezes podem flutuar ou ficar grudadas ao vaso sanitário e dificilmente desaparecem quando se dá descarga. A absorção inadequada de determinados açúcares pode provocar diarreia explosiva, distensão abdominal e flatulência.

A má absorção pode causar deficiência de todos os nutrientes ou deficiências seletivas de proteínas, gorduras, açúcares, vitaminas ou minerais. Pessoas com má absorção geralmente perdem peso ou têm dificuldade de manter seu peso, apesar do consumo adequado de alimentos. As mulheres podem parar de menstruar. Os sintomas variam, conforme as deficiências específicas. Por exemplo, uma deficiência de proteínas pode causar inchaço e acúmulo de líquidos (edema) em qualquer parte do corpo, secura da pele e queda de cabelo. Anemia (causada pela deficiência de vitaminas ou ferro) pode causar fadiga e fraqueza.

Tabela
icon

Symptoms of Nutrient Deficiencies

Nutriente

Sintomas

Cálcio

Dor e deformidade nos ossos, maior probabilidade de fraturas (devido ao adelgaçamento dos ossos ou osteoporose), espasmos musculares, perda da cor dos dentes e maior suscetibilidade a cáries dolorosas

Fadiga e fraqueza (decorrentes de anemia)

Fadiga e fraqueza (decorrentes de anemia)

Magnésio

Espasmos musculares

Diarreia, distúrbios da pele, confusão (pelagra) e língua irritada

Proteína

Inchaço (edema), geralmente nas pernas; pele seca; queda de cabelo

Cegueira noturna

Vitamina B1

Sensação de formigamento, especialmente nos pés, e insuficiência cardíaca

Vitamina B2

Língua irritada e rachaduras nos cantos da boca

Fadiga e cansaço (decorrentes de anemia), sensação de formigamento e confusão

Fraqueza e sangramento da gengiva

Adelgaçamento e dor dos ossos

Tendência a apresentar equimose e sangramento

Diagnóstico

  • Uma avaliação médica do histórico e dos sintomas da pessoa

  • Exames para confirmar o diagnóstico (como exames de sangue e fezes)

  • Exames para diagnosticar a causa (como biópsia e exame diagnóstico por imagem)

O médico suspeita que há má absorção presente quando a pessoa tem diarreia crônica, perda de peso e anemia, além de outros sinais de deficiências nutricionais. A má absorção é menos óbvia e geralmente mais difícil de reconhecer em idosos do que em crianças.

Exames de laboratório podem ajudar a confirmar o diagnóstico:

  • Exames para medir a quantidade de gordura nas fezes

  • Exame visual das fezes

  • Exames de sangue

O exame de fezes que mede diretamente a quantidade de gordura nas fezes coletadas ao longo de três dias é o mais confiável para o diagnóstico de má absorção de gordura, que está presente em quase todos os distúrbios de má absorção. Um resultado com mais de sete gramas de gordura nas fezes diárias é sinal de má absorção. Também estão disponíveis alguns outros exames que medem a gordura nas fezes, mas que não exigem três dias de coleta de amostras.

As amostras de fezes são examinadas a olho nu ou através de um microscópico. Fragmentos de alimentos por digerir indicam que o alimento passa muito rapidamente pelo intestino. Em uma pessoa com icterícia, as fezes com excesso de gordura indicam uma diminuição na produção ou na secreção de bile. Às vezes, parasitas ou seus ovos são visíveis ao microscópio, sugerindo que a má absorção é causada por uma infecção parasitária.

Exames de sangue e outras análises laboratoriais podem ser realizados para detectar má absorção de outras substâncias específicas, como a lactose ou a vitamina B12.

Assim que o médico confirmar que a pessoa apresenta distúrbio de má absorção, exames são realizados para diagnosticar a causa:

  • Biópsia

  • Exames de diagnóstico por imagem

  • Exames da função pancreática

Uma biópsia pode ser necessária para detectar anormalidades no revestimento do intestino delgado. O tecido é extraído com um endoscópio (tubo flexível para visualização equipado com uma fonte de luz e uma câmara em que uma pequena pinça pode ser inserida) introduzido pela boca até o intestino delgado.

Exames de diagnóstico por imagem, como exame de cápsula endoscópica, tomografia computadorizada ou radiografias com bário, e outros exames de diagnóstico (cultura de bactérias digestivas, determinados exames de sangue ou exames do ar exalado) também podem ser realizados.

Se o médico considerar que a causa da má absorção pode ser a produção insuficiente de enzimas digestivas no pâncreas, são realizados exames de função pancreática. No entanto, alguns desses exames são complexos, requerem muito tempo e são invasivos. Em um dos exames, é introduzido um tubo pela boca que é guiado até o intestino delgado, onde os sucos gástricos que contêm as secreções pancreáticas podem ser coletados e medidos. Em outro exame, a pessoa ingere uma substância que necessita de enzimas pancreáticas para a sua digestão. Os produtos da digestão são, então, medidos na urina. Recentemente, os médicos estão realizando exames mais simples e fáceis para medir os níveis de certas enzimas pancreáticas nas fezes.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS