Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Erupções causadas por medicamentos

Por

Mercedes E. Gonzalez

, MD, University of Miami Miller School of Medicine

Última revisão/alteração completa mar 2018| Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

As erupções cutâneas causadas por medicamentos são um efeito colateral de um medicamento que se manifestam como uma reação da pele.

  • Erupções cutâneas causadas por medicamentos são normalmente provocadas por uma reação alérgica a um medicamento.

  • Os sintomas típicos incluem vermelhidão, caroços, bolhas, urticária, coceira e, às vezes, descamação ou dor.

  • Todos os medicamentos que uma pessoa toma podem ter que ser suspensos para descobrir qual deles está causando a erupção cutânea.

  • A maioria das erupções causadas por medicamentos desaparece assim que se suspende o medicamento, mas as reações leves podem ser tratadas com cremes para diminuir os sintomas, e as reações sérias podem requerer tratamento com medicamentos, como epinefrina (aplicada por injeção), difenidramina e/ou um corticosteroide para prevenir complicações.

A palavra “erupção cutânea” se refere a alterações na cor (como vermelhidão) e/ou na textura (como caroços e inchaço) da pele. Muitas erupções cutâneas coçam, como as que surgem muitas vezes após uma reação alérgica, mas algumas erupções são dolorosas ou não provocam nenhum sintoma. Os medicamentos podem causar erupções cutâneas de várias formas.

Erupções alérgicas causadas por medicamentos

A maior parte das erupções cutâneas causadas por medicamentos resulta de uma reação alérgica ao medicamento. Geralmente, a reação é a um medicamento tomado por via oral ou injetado. O medicamento não precisa ser aplicado na pele para causar uma erupção cutânea. Quando o sistema imunológico entra em contato com um medicamento, ele pode ficar sensível àquele medicamento (um processo chamado sensibilização). Em algumas ocasiões, uma pessoa fica sensibilizada a um medicamento depois de uma única exposição e, outras vezes, a sensibilização só acontece depois de muitas exposições. Depois que uma pessoa fica sensibilizada a um medicamento, a exposição posterior a esse mesmo medicamento desencadeia uma reação alérgica, por exemplo, uma erupção cutânea.

Erupções cutâneas não alérgicas

Às vezes, a erupção cutânea surge diretamente, sem que se manifeste uma reação alérgica. Por exemplo, os corticosteroides e o lítio podem causar uma erupção cutânea que se assemelha à acne, ao passo que os anticoagulantes (afinadores do sangue) podem causar manchas roxas quando o sangue escapa por baixo da pele.

Certos medicamentos podem tornar a pele especialmente sensível aos efeitos da luz solar ou a outras fontes de luz ultravioleta (fotossensibilidade). Entre eles encontram-se alguns medicamentos antipsicóticos, tetraciclina, antibióticos à base de sulfa, clorotiazida e alguns edulcorantes sintéticos. Na hora em que o medicamento é tomado não surge nenhuma erupção cutânea, mas a exposição posterior ao sol enquanto ele estiver sendo tomado pode provocar fototoxicidade (dor e vermelhidão como uma queimadura solar) ou fotoalergia (uma reação alérgica que surge somente após a exposição ao sol).

Outras erupções cutâneas importantes que resultam da administração de medicamentos, são as causadas pela síndrome de Stevens-Johnson, pela necrólise epidérmica tóxica e pelo eritema nodoso.

Sintomas

A gravidade das erupções cutâneas induzidas por medicamentos varia desde uma vermelhidão leve, com pápulas limitadas a uma zona reduzida, até a descamação em toda a pele. As erupções cutâneas podem surgir repentinamente, ou seja, em poucos minutos após a ingestão de um medicamento, ou podem demorar horas, dias ou até mesmo semanas. As erupções cutâneas podem causar descoloração vermelha, roxa, azul ou cinza. Algumas erupções cutâneas são dolorosas e podem causar a formação de ulcerações na boca.

Pessoas com uma erupção cutânea alérgica podem ter urticária e/ou outros sintomas alérgicos, tais como coriza e olhos lacrimejantes. Elas também podem manifestar sintomas mais significativos, como sibilos ou pressão arterial perigosamente baixa. Urticárias causam muita coceira, ao passo que algumas outras erupções causadas por medicamentos coçam pouco, quando muito.

Diagnóstico

  • Análise, pelo médico, de todos os medicamentos atuais comprados com e sem receita médica

  • Interrupção dos medicamentos que, muito provavelmente, causaram a reação, para observar se a erupção cutânea desaparece

  • Às vezes, biópsia da pele

Determinar se um medicamento é a causa pode ser complicado, pois a erupção cutânea pode surgir após tomar apenas uma quantidade mínima do medicamento, pode apresentar-se muito tempo depois de o medicamento ser tomado pela primeira vez e pode persistir durante semanas ou meses depois de o uso do medicamento ter sido interrompido. Todo medicamento que a pessoa tomou é suspeito, incluindo aqueles comprados sem receita, como colírios, gotas nasais, supositórios e produtos fitoterápicos. Portanto, os médicos analisam todos os medicamentos com e sem receita que a pessoa estiver tomando na ocasião. Os médicos tentam determinar se a erupção começou pouco tempo depois que a pessoa começou a tomar o medicamento. O medicamento que mais provavelmente está causando a erupção deverá ser interrompido para ver se a erupção regride.

Às vezes, a única forma de determinar qual medicamento é o responsável pela erupção cutânea é sugerir à pessoa que pare de tomar todos os medicamentos, exceto os que forem vitais. Na medida do possível, substituem-se os medicamentos por outros quimicamente distintos. Se não existirem substitutos, deve-se começar a tomar os medicamentos novamente, uma de cada vez, para determinar qual deles provoca a reação. No entanto, esse método pode ser arriscado se a pessoa tiver apresentado uma reação alérgica grave ao medicamento.

Testes cutâneos podem não ser úteis. Ocasionalmente, uma amostra de pele é retirada e examinada ao microscópio (chamado biópsia cutânea), principalmente se o médico suspeitar que a pessoa tem uma das reações mais graves ou incomuns causadas por medicamentos.

Tratamento

  • Interromper o medicamento responsável

  • Para reações leves, às vezes anti-histamínicos e cremes com corticosteroides para aliviar coceira

  • Para reações graves, às vezes medicamentos administrados por via intravenosa e hospitalização

A maioria das reações causadas por medicamentos desaparece após a interrupção do medicamento responsável.

Os tratamentos para coceira convencionais, como anti-histamínicos orais e cremes com corticosteroides, são usados conforme necessário.

As reações de pele alérgicas graves, sobretudo as que forem acompanhadas por sintomas sérios (chamadas de anafilaxia), como sibilos ou dificuldade para respirar, são tratadas com epinefrina (aplicada por injeção), habitualmente um anti-histamínico e um corticosteroide.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Câncer de pele
Vídeo
Câncer de pele
A pele é o maior órgão do corpo. Ela tem muitas funções importantes, incluindo a de proteger...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS