Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Complicações após tratamento dentário

Por

Michael N. Wajdowicz

, DDS, USAF

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jun 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Complicações após um procedimento dentário que incluam inchaços e dores, alveolite seca, osteomielite, hemorragia e osteonecrose da mandíbula compreendem outro grupo de problemas dentários urgentes que requerem atenção imediata.

Inchaço e dor

É comum o inchaço após certos procedimentos dentários, especialmente a remoção de dentes (extração) e cirurgia periodontal. Segurar uma bolsa de gelo – ou melhor ainda, uma sacola plástica de ervilhas ou milhos congelados (que se adaptam ao contorno facial) – na bochecha pode evitar muito do inchaço. A terapia do gelo pode ser repetida pelas primeiras 18 horas. O gelo deve ser mantido no queixo por períodos de 25 minutos e depois removido por cerca de 5 minutos. Se o inchaço persistir ou aumentar após 3 dias ou se a dor for grave, pode ter desenvolvido uma infecção, e a pessoa deve entrar em contato com o dentista.

A dor após um procedimento dentário pode ser moderada ou grave. As pessoas podem tomar vários analgésicos.

Alveolite seca (alveolite)

Uma alveolite seca (exposição do osso no alvéolo, causando atraso na cicatrização) pode desenvolver após um dente inferior de trás ser extraído e o coágulo normal de sangue no alvéolo ser perdido. Normalmente, o desconforto dura por 2 ou 3 dias após a extração e piora repentinamente, às vezes acompanhada por uma dor de ouvido. Embora o quadro clínico desapareça sozinho só depois de 1 a 2 semanas, o dentista pode colocar um curativo embebido com um anestésico no alvéolo para eliminar a dor. O dentista substitui o curativo a cada 1 a 3 dias até que não sinta mais dor após a gaze ser deixada de fora por algumas horas. Alternativamente, dentistas com frequência usam um curativo comercial que não precisa ser removido e que contém um agente antimicrobiano e um analgésico. Podem ser tomados anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) por via oral se for necessário mais alívio da dor.

Alveolites secas são muito mais comuns entre os fumantes. Se possível, os fumantes não devem fumar por vários dias antes e depois de ser feita a extração. Mulheres (sobretudo as que estão tomando anticoncepcionais orais) também têm alta taxa de desenvolvimento de alveolite seca.

Osteomielite

A osteomielite é uma infecção do osso e geralmente é causada por uma bactéria. Quando ocorre a osteomielite na boca, é normal ocorrer uma infecção da mandíbula inferior. As pessoas normalmente têm febre, e a área afetada fica sensível e inchada. Médicos ou dentistas usam raios x para fazer o diagnóstico. Pessoas com osteomielite precisam tomar antibióticos por muito tempo.

Hemorragia

É comum a hemorragia após a remoção de um dente. Hemorragia bucal pode parecer pior do que realmente é porque uma pequena quantidade de sangue pode se misturar à saliva e dar a aparência de que há muito mais sangue. Em geral, a hemorragia pode ser interrompida por meio do pressionamento do local cirúrgico pela primeira hora, normalmente pedindo à pessoa que morda um pedaço de gaze. Algumas pessoas têm que repetir o processo por duas ou três vezes. É importante manter a gaze (ou bolsa de chá) pressionada no local por pelo menos uma hora. A maioria dos problemas ocorrem porque a pessoa remove com frequência remove a gaze para ver se a hemorragia já parou. Se a hemorragia continuar por mais de algumas horas, o dentista deve ser notificado. O dentista pode precisar limpar a área da hemorragia e fechar cirurgicamente com pontos (suturas).

As pessoas que regularmente tomam anticoagulante (um medicamento que evita a coagulação) como a varfarina ou a aspirina (mesmo que só tomem uma aspirina em alguns dias) devem mencionar isso ao dentista uma semana antes da cirurgia porque esses medicamentos aumentam a tendência à hemorragia. O médico da pessoa pode ajustar a dosagem do medicamento ou interrompê-lo temporariamente alguns dias antes da cirurgia após consulta ao dentista.

Osteonecrose da mandíbula

Osteonecrose da mandíbula é um distúrbio que envolve morte do osso em partes das mandíbulas após exposição do osso através do tecido da gengiva. A doença normalmente causa dor, afrouxamento dos dentes e secreção de pus. A doença pode ocorrer após

  • Extração dentária

  • Uma lesão

  • A radioterapia da cabeça e pescoço (osteorradionecrose)

  • Uso de medicamentos bifosfonatos em doses elevadas ou por períodos prolongados.

A osteonecrose da mandíbula também pode ocorrer espontaneamente. Esta doença se desenvolve em algumas pessoas que receberam medicamentos que fortalecem os ossos. Os mais comuns desses medicamentos são os bifosfonatos, como o alendronato, risedronato, ibandronato e zoledronato. Os bifosfonatos parecem ter um risco mais alto de causar osteonecrose da mandíbula inferior em pessoas que passam por uma cirurgia oral enquanto tomam os bifosfonatos intravenosos, em pessoas que receberam anteriormente altas doses de bifosfonatos pela veia (comum em tratamentos de certos tipos de câncer), ou que tenham tomado bifosfonatos por um longo período. O risco de desenvolver osteonecrose da mandíbula é muito menor (cerca de 1 em 1.000) em pessoas que receberam bifosfonatos em doses padrão para a osteoporose.

O tratamento costuma envolver raspar parte do osso danificado (debridamento), tomar antibióticos por via oral, e usar enxaguantes bucais antibacterianos.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Canal radicular
Vídeo
Canal radicular
Depois de comer, partículas de alimentos e líquidos contendo açúcar e amido são deixadas nos...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Ranger os dentes
Modelo 3D
Ranger os dentes

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS