Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Gota

Por

Brian F. Mandell

, MD, PhD, Cleveland Clinic

Última revisão/alteração completa out 2020| Última modificação do conteúdo out 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

Gota é uma doença na qual há o acúmulo de depósitos de cristais de ácido úrico nas articulações devido a concentrações elevadas de ácido úrico no sangue (hiperuricemia). O acúmulo de cristais causa exacerbações (crises) inflamatórias dolorosas nas articulações ou ao seu redor.

  • Os acúmulos de cristais de ácido úrico podem causar inflamação e dor grave intermitente nas articulações ou nos tecidos.

  • Os médicos removem o líquido da articulação e verificam a presença de cristais de ácido úrico para confirmar o diagnóstico de artrite gotosa.

  • Medicamentos são administrados para aliviar a inflamação e a dor resultante das crises, e medicamentos diferentes (geralmente tomados por toda a vida) são utilizados para diminuir os níveis de ácido úrico no sangue que, ao longo do tempo, diminui os depósitos de ácido úrico e interrompe a recorrência das crises.

Gota é mais comum em homens do que em mulheres. Geralmente, ela se desenvolve em homens de meia-idade e em mulheres após a menopausa. A gota é rara em jovens, mas geralmente é muito mais grave em pessoas que desenvolvem a doença antes dos 30 anos.

A gota, causada devido a concentrações elevadas no sangue de ácido úrico (hiperuricemia), pode afetar vários membros da mesma família.

Os níveis no sangue de ácido úrico tendem a ser elevados em pessoas com síndrome metabólica Síndrome Metabólica A síndrome metabólica é caracterizada por uma grande circunferência abdominal (devido à gordura abdominal excessiva), hipertensão arterial, resistência aos efeitos da insulina (resistência à... leia mais . Esta síndrome é caracterizada por grande circunferência da cintura (devido ao excesso de gordura abdominal), hipertensão arterial, resistência aos efeitos da insulina (chamada resistência à insulina) ou níveis elevados de açúcar no sangue e por níveis anormais de colesterol e outras gorduras no sangue.

Causas de gota

O ácido úrico é um subproduto da degradação de ácidos nucleicos (ácido ribonucleico [RNA Transcrição e tradução Os genes são segmentos de ácido desoxirribonucleico (DNA) que contêm o código para uma proteína específica que funciona em um ou mais tipos de células no organismo. Cromossomos são estruturas... leia mais Transcrição e tradução ] e ácido desoxirribonucleico [DNA DNA Os genes são segmentos de ácido desoxirribonucleico (DNA) que contêm o código para uma proteína específica que funciona em um ou mais tipos de células no organismo. Cromossomos são estruturas... leia mais DNA ]) nas células. Ele está presente em pequenas quantidades no sangue, porque o corpo degrada e cria novas células continuamente. Além disso, o corpo transforma prontamente substâncias presentes em alimentos chamadas purinas em ácido úrico. As purinas são os principais constituintes do RNA e DNA. O ácido úrico é removido do sangue principalmente através dos rins e do sistema gastrointestinal.

Níveis de ácido úrico anormalmente elevados no sangue resultam de

  • Diminuição da eliminação de ácido úrico pelos rins (causa mais comum) ou pelo sistema gastrointestinal

  • Consumo excessivo de alimentos ricos em purina e/ou álcool (em geral, um fator de menor importância)

  • Produção exacerbada de ácido úrico (em casos raros)

Frequentemente, o nível de ácido úrico no sangue se torna anormalmente alto quando os rins não podem eliminar ácido úrico na urina suficientemente. Essa causa é geralmente determinada pelos genes da pessoa. Muito ácido úrico no sangue pode resultar em cristais de ácido úrico sendo formados e depositados nas articulações ou ao seu redor. Os quadros clínicos que podem comprometer a capacidade de o rim eliminar o ácido úrico também incluem

  • Alguns tipos de doenças renais

  • Certos medicamentos

  • Envenenamento por chumbo

Consumo excessivo de alimentos ricos em purina (como fígado, rim, anchovas, aspargos, arenques, caldos e molhos de carne, cogumelos, mexilhões, sardinhas e pães doces) podem aumentar os níveis de ácido úrico no sangue. No entanto, uma dieta estrita baixa em purina reduz os níveis de ácido úrico em apenas uma pequena quantidade. No passado, quando o consumo de carnes e peixes era escasso, a gota era considerada uma doença que acometia pessoas ricas.

A combinação de uma dieta rica em purinas com álcool ou, em especial, bebidas contendo xarope de milho rico em frutose pode piorar a situação, porque todas estas bebidas podem aumentar a produção de ácido úrico e interferir na sua eliminação pelos rins.

Por motivos desconhecidos, nem todas as pessoas com níveis anormalmente elevados de ácido úrico no sangue (hiperuricemia) desenvolvem gota. Assim, a gota não deve ser diagnosticada apenas pelo exame de sangue.

Fatores de risco para o desenvolvimento de gota

Você sabia que...

  • No passado, quando o consumo de carnes e peixes (alimentos ricos em purina) era escasso e os ricos se banqueteavam com vinho e cervejas, a gota era considerada uma doença que acometia pessoas ricas.

Geralmente, os níveis altos de ácido úrico no sangue levam a níveis altos de ácido úrico nas articulações. Esse processo pode resultar na formação de cristais de ácido úrico no tecido das articulações e no líquido ao redor das articulações (líquido sinovial).

A gota muito frequentemente afeta as articulações dos pés, especialmente a base do hálux (inchaço, dor e vermelhidão do hálux é chamado podagra). Porém, afeta com mais frequência outras áreas: tornozelos, dorso dos pés, joelhos, pulsos e cotovelos. A gota tende a afetar essas áreas mais frias, já que os cristais de ácido úrico se formam mais rapidamente em áreas frias do que em áreas quentes. A gota raramente afeta as articulações das partes mais quentes e centrais do corpo, como a coluna vertebral, quadris ou ombros.

Exacerbações (crises) graves repentinas de gota (chamadas artrite gotosa aguda) podem ocorrer. Estas podem ser desencadeadas por

Sintomas da gota

Geralmente durante uma crise, dor intensa ocorre de forma repentina em uma ou mais articulações, frequentemente durante a noite. A dor noturna ocorre provavelmente porque o líquido que se acumulou na articulação durante o dia sai da articulação mais rapidamente do que o ácido úrico quando a pessoa se deita, aumentando a concentração de ácido úrico e sua prontidão em formar cristais. A dor piora progressivamente e geralmente é extrema, particularmente quando a articulação é movida ou tocada.

A articulação fica inflamada — ela incha, fica quente e a pele sobre a articulação pode ter aparência avermelhada ou roxa, enrijecida e reluzente.

Outros sintomas de uma exacerbação às vezes incluem

  • Febre

  • Uma rápida frequência cardíaca (taquicardia)

  • Uma sensação geral de doença

  • Calafrios (muito raramente)

Geralmente, as primeiras crises afetam apenas uma articulação e duram poucos dias a uma semana.

Os sintomas desaparecem gradativamente, a função da articulação retorna e nenhum sintoma fica evidente até a próxima exacerbação. Porém, se a doença progredir, as exacerbações não tratadas podem durar por mais tempo, ocorrer com maior frequência e afetar diversas articulações. Se não forem tratadas, as exacerbações posteriores podem durar até três semanas. Uma pessoa em crise com febre superior a 38,3 °C (101 °F), calafrios com tremores ou quaisquer outros sintomas graves (por exemplo, fraqueza, vômitos, erupção cutânea ou qualquer falta de ar), especialmente se não tiverem apresentado crises anteriores ou se for a primeira crise, devem ligar para o médico ou procurar um pronto-socorro, porque esses sintomas também podem ser causados por uma infecção articular ou um problema totalmente diferente.

Após exacerbações repetidas, a gota pode se tornar grave e persistente e pode resultar em deformidade articular.

Com o tempo, o movimento da articulação se torna progressivamente restrito pela lesão causada por depósitos de cristais de ácido úrico nas articulações e tendões.

Tofos

Inicialmente, nódulos de cristais de ácido úrico rígidos (tofos) se depositam no revestimento ou cartilagem da articulação (sinoviais) ou no osso próximo às articulações e, finalmente, na pele a seu redor. Os tofos também podem se desenvolver nos rins e outros órgãos e abaixo da pele das orelhas. Eles normalmente se desenvolvem nos dedos, mãos, pés, no tendão rígido que se estende dos músculos da panturrilha ao calcanhar (tendão calcâneo) ou ao redor dos cotovelos.

Os tofos normalmente são indolores, mas podem ficar inflamados e dolorosos.

Se não forem tratados, os tofos dentro e ao redor da articulação podem se romper e liberar massas calcárias de cristais de ácido úrico na pele e podem acabar por causar deformidades e osteoartrite Osteoartrite (OA) A osteoartrite é uma doença crônica que danifica a cartilagem e os tecidos circundantes e caracteriza-se por dor, rigidez e perda da função. A artrite decorrente de lesões na cartilagem das... leia mais Osteoartrite (OA) .

Complicações da gota

Pessoas que têm gota podem desenvolver cálculos renais (urolitíase Cálculos no trato urinário Os cálculos (pedras) são massas duras que se formam no trato urinário e podem provocar dor, hemorragia ou infecção ou bloqueio do fluxo da urina. Cálculos minúsculos podem não causar sintomas... leia mais Cálculos no trato urinário ) que são compostos de cálcio e, às vezes, de ácido úrico. Os cálculos podem bloquear o trato urinário, resultando em dor extrema e, se não tratados, podem causar infecção e lesões renais.

Em pessoas com gota que também têm outra doença que afeta os rins (como diabetes Diabetes mellitus (DM) O diabetes mellitus é uma doença na qual o organismo não produz uma quantidade suficiente de insulina ou não responde normalmente à insulina, fazendo com que o nível de açúcar (glicose) no sangue... leia mais ou hipertensão arterial ), uma função renal progressivamente deficiente reduz a excreção de ácido úrico e provoca piora progressiva da gota e das lesões nas articulações.

Diagnóstico de gota

  • Análise do líquido articular ao microscópio

  • Às vezes, radiografias e/ou ultrassonografia ou exames de TC especiais

Os médicos suspeitam da gota com base nos sintomas distintos e em um exame das articulações afetadas. As seguintes características sugerem o diagnóstico de gota:

  • Podagra (inchaço súbito, dor e vermelhidão do hálux)

  • Inflamação recorrente da pisada interna

  • Um histórico de exacerbações anteriores que tiveram início subitamente e se resolveram espontaneamente

Muitas pessoas com gota apresentam níveis altos de ácido úrico no sangue. Entretanto, o nível de ácido úrico pode ser normal, especialmente durante uma crise aguda. Muitas pessoas têm níveis elevados de ácido úrico no sangue, mas não têm crises de gota; portanto, um exame de sangue não é suficiente para o diagnóstico.

O diagnóstico de gota é geralmente confirmado quando cristais de ácido úrico são identificados em uma amostra de tofo ou no líquido articular removido através de uma agulha (aspiração articular Aspiração articular (artrocentese) Muitas vezes, o médico pode diagnosticar uma doença musculoesquelética a partir do histórico e dos resultados de um exame físico. Exames laboratoriais, exames por imagem ou outros procedimentos... leia mais Aspiração articular (artrocentese) ) e observado em um microscópio especial com luz polarizada.

A gota pode simular e, às vezes, ser erradamente diagnosticada como sendo outro tipo de artrite.

Prognóstico de gota

Com o diagnóstico precoce de gota, o tratamento permite que a maioria das pessoas vivam normalmente. Para muitas pessoas com doença avançada, a diminuição significativa dos níveis de ácido úrico no sangue pode solucionar os tofos e melhorar a função da articulação.

Algumas pessoas não melhoram suficientemente com o tratamento. Os motivos podem incluir falha em seguir a posologia dos medicamentos, subdosagem de medicamentos e alcoolismo.

Tratamento da gota

  • Medicamentos para aliviar dor e inchaço resultante da inflamação

  • Repouso, imobilização de uma articulação dolorosa com uma tala e gelo

  • Alterações da dieta e perda de peso para diminuir os níveis de ácido úrico e ajudar a prevenir outras exacerbações

  • Medicamentos para evitar exacerbações através da prevenção da inflamação causada por cristais

  • Medicamentos para baixar os níveis de ácido úrico e dissolver os cristais (maneira mais eficaz de curar a gota e interromper as crises, mas leva tempo para que todos os depósitos sejam dissolvidos)

O tratamento da gota tem três objetivos:

  • Aliviar a exacerbação aguda da inflamação

  • Prevenir exacerbações futuras

  • Prevenir o depósito adicional de ácido úrico nos tecidos ao diminuir os níveis de ácido úrico no sangue

Aliviar exacerbações agudas de gota

O tratamento com AINEs deve ser continuado por diversos dias após a dor e a inflamação terem se resolvido para prevenir que ocorram novamente (um quadro clínico chamado recaída). Preocupações com esses medicamentos estão relacionados com irritação do estômago, interações com afinadores de sangue e diminuição temporária da função renal.

A colchicina é o tratamento tradicional, mas não o mais comum nem a primeira opção. Geralmente, a dor nas articulações começa a diminuir de 12 a 24 horas após o tratamento com colchicina e, em alguns casos, desaparece após três a sete dias. Em geral se tomam dois comprimidos de colchicina assim que for possível após o início dos sintomas de uma exacerbação. Um terceiro comprimido é tomado uma hora depois. Esta terapia é continuada no dia seguinte com o uso de um comprimido uma ou duas vezes ao dia durante sete a dez dias. A colchicina pode causar diarreia.

Corticosteroides, como prednisona, são por vezes utilizados para reduzir a inflamação da articulação (incluindo o inchaço) em pessoas que não toleram outros medicamentos.

Se apenas uma ou duas articulações estiverem afetadas, uma suspensão de corticosteroide, como tebutato de prednisolona, pode ser injetada utilizando-se a mesma agulha utilizada para remover líquido de uma articulação.

Como ocorre com a terapia com AINEs e colchicina, os corticosteroides que são tomados por via oral devem ser continuados por alguns dias após a resolução completa da crise para prevenir uma recaída.

Algumas combinações destes medicamentos são administradas.

Além dos AINEs, colchicina ou corticosteroides, outros analgésicos, repouso, imobilização com uma tala e gelo podem ser utilizados para diminuir a dor. Se a pessoa não conseguir tolerar corticosteroides, colchicina ou AINEs, medicamentos que inibem o sistema imunológico e o sistema inflamatório (como injeções diárias de anacinra) podem ser usados. Se houver problemas subjacentes, como doença renal crônica ou úlcera péptica, ou se a pessoa estiver tomando determinados medicamentos (como anticoagulantes), os tratamentos habituais para gota podem não ser utilizados ou podem ser modificados.

Prevenir exacerbações futuras da gota

As seguintes medidas podem ajudar a prevenir novas crises de gota:

  • Evitar bebidas alcoólicas (como cerveja ou licor) e cerveja não alcoólica

  • Perda de peso

  • Trocar os medicamentos que causam níveis elevados de ácido úrico no sangue

  • Ingerir quantidades menores de alimentos ricos em purina

  • Substituir produtos lácteos com baixo teor de gordura por outros alimentos

Mas essas medidas são, geralmente, insuficientes.

A maioria das pessoas que têm gota primária estão com sobrepeso. Conforme perdem peso gradualmente, seus níveis de ácido úrico no sangue geralmente diminuem, mas não costumam diminuir o suficiente para dissolver os depósitos de ácido úrico.

Pode ser necessário tratamento medicamentoso preventivo diário para pessoas que sofrem exacerbações graves repetidas. A colchicina pode ser ingerida diariamente para prevenir exacerbações ou reduzir significativamente sua frequência. AINEs tomados diariamente também podem prevenir exacerbações. Esses medicamentos ajudam a evitar que os cristais causem inflamação que resulte em exacerbações. No entanto, a colchicina e AINEs podem causar alguns efeitos colaterais.

Pessoas com gota que tomam um diurético (como hidroclorotiazida) para tratar hipertensão arterial podem ter menos exacerbações se tomarem losartana ou um medicamento similar ao invés de um diurético para controlar a pressão arterial. Contudo, a prevenção de exacerbações trocando um diurético para losartana ou outro medicamento para tratar a hipertensão arterial não previne nem cura lesões articulares já existentes causadas por cristais de ácido úrico, porque os cristais ainda estão nas articulações entre as exacerbações de gota. Além disso, esses medicamentos alternativos podem ter efeitos colaterais. Mais importante, diuréticos podem ser necessários para controlar a pressão arterial e prevenir AVCs ou ataques cardíacos.

Como reduzir níveis de ácido úrico no sangue

Um nível alto de ácido úrico no sangue causa problemas para pessoas com gota e pode aumentar o risco de doença renal em pessoas sem gota. A diminuição dos níveis de ácido úrico no sangue ajuda a dissolver depósitos de ácido úrico nos tecidos e a prevenir as crises.

Entre as pessoas com gota que necessitam reduções dos níveis de ácido úrico no sangue em particular estão aquelas que têm:

  • Exacerbações graves e frequentes (mais do que 2 por ano) a despeito do uso de colchicina, um AINE ou ambos

  • Tofos que são encontrados no exame

  • Cálculos de ácido úrico nos rins

  • Quadros clínicos que complicam o uso de AINEs ou corticosteroides (como úlcera péptica, diabetes, tratamento com anticoagulantes e doença renal crônica)

Pessoas que usam medicamentos que diminuem o nível de ácido úrico no sangue devem conhecer seu nível, assim como pessoas com hipertensão arterial devem conhecer sua pressão arterial. O objetivo da terapia medicamentosa é diminuir o nível para menos de 6 miligramas por decilitro (0,4 milimoles por litro). Se o nível sanguíneo for mantido abaixo de seis [0,4], a deposição de ácido úrico nas articulações e nos tecidos moles será interrompida e os depósitos existentes acabarão se dissolvendo, embora isso possa demorar vários anos. A maioria dos tofos nas orelhas, mãos ou pés encolhem lentamente quando o nível de ácido úrico diminui para menos de 6 miligramas por decilitro (0,4 milimoles por litro).

Medicamentos podem diminuir o nível de ácido úrico ao reduzirem a produção de ácido úrico do corpo ou aumentarem a excreção de ácido úrico na urina. Quanto menor o nível de ácido úrico no sangue, mais rapidamente se dissolverão os depósitos. À medida que os depósitos começarem a se dissolvem (mobilizar), cristais poderão ser liberados causando crises de mobilização. Essas crises são um sinal de que os medicamentos estão funcionando e não devem ser interrompidas. Esses medicamentos podem ser utilizados em longo prazo ou por toda a vida da pessoa.

O alopurinol é utilizado mais comumente para diminuir o nível de ácido úrico no sangue. Esse medicamento bloqueia a produção de ácido úrico no corpo. Porém, o alopurinol pode afetar o estômago e, às vezes, pode causar eritemas, redução da contagem de glóbulos brancos, lesão hepática ou inflamação dos vasos sanguíneos (vasculite). O alopurinol também pode desencadear uma crise aguda no início do tratamento (crise de mobilização Exacerbações de mobilização Gota é uma doença na qual há o acúmulo de depósitos de cristais de ácido úrico nas articulações devido a concentrações elevadas de ácido úrico no sangue (hiperuricemia). O acúmulo de cristais... leia mais Exacerbações de mobilização ). Como a colchicina em doses baixas ou um AINE pode diminuir esse risco, um desses medicamentos geralmente é administrado quando é iniciado o tratamento com alopurinol (ou febuxostate) e continua por alguns meses.

Febuxostate é outro medicamento que diminui os níveis de ácido úrico no sangue. Ele é muito útil em pacientes que não podem tomar alopurinol ou para os quais este medicamento não é eficaz. Como com o alopurinol, podem ocorrer exacerbações enquanto o nível de ácido úrico no sangue diminui.

Pegloticase é um medicamento especializado usado para baixar os níveis de ácido úrico no sangue significativamente em pessoas com gota grave. Ele é administrado por infusão intravenosa a cada duas semanas e é prescrito principalmente para pessoas com gota prolongada que não obtiveram sucesso com outros tratamentos. Pegloticase não é usado com outros medicamentos que diminuem os níveis de ácido úrico no sangue. Se a pessoa responder à pegloticase, os depósitos, incluindo os tofos, podem começar a se dissolver e se tornar menos visíveis ao longo de meses.

Medicamentos uricosúricos (medicamentos que aumentam a excreção de ácido úrico na urina) também podem ser utilizados para diminuir os níveis de ácido úrico no sangue em pessoas com função renal normal.

Probenecida é um medicamento uricosúrico, geralmente tomado duas vezes ao dia e pode ser combinada ao alopurinol ou febuxostate.

Aspirina pode bloquear os efeitos da probenicida, mas doses baixas que protegem o coração (81 miligramas diariamente) devem ser continuadas, pois a doença arterial coronariana é um risco considerável em pessoas com gota. Baixas doses de aspirina podem aumentar muito levemente os níveis de ácido úrico (hiperuricemia), mas isso não costuma ser um problema. Da mesma forma, a hidroclorotiazida pode aumentar ligeiramente o nível de ácido úrico no sangue; mas se ela for eficaz em reduzir a pressão arterial, em geral, ela deve ser continuada enquanto outros medicamentos são utilizados para diminuir o nível de ácido úrico no sangue.

O medicamento para reduzir a pressão arterial, losartana, e o medicamento para reduzir triglicérides, fenofibrato, levam à excreção de ácido úrico na urina. Estes medicamentos podem reduzir o ácido úrico de pessoas que os estejam tomando por outros motivos.

Exacerbações de mobilização

Qualquer tratamento que diminua os níveis de ácido úrico no sangue pode desencadear uma crise aguda (às vezes chamada crise de mobilização). Crises de mobilização são particularmente comuns logo após o início do uso de um medicamento que diminui os níveis de ácido úrico no sangue. Uma exacerbação de mobilização pode ser um sinal de que o medicamento está funcionando bem para reduzir os níveis de ácido úrico.

Durante uma exacerbação de mobilização, as pessoas não devem interromper o uso dos medicamentos que reduzem o nível de ácido úrico.

Colchicina em doses baixas ou um AINE pode ser administrado por alguns meses depois de iniciar o medicamento que diminui o nível de ácido úrico para ajudar a prevenir as crises de mobilização.

Tabela
icon
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Teste os seus conhecimentos
Dor articular: Uma única articulação
Exames de sangue são realizados para diagnosticar ou descartar qual das opções a seguir como causa de dor em uma única articulação?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS