Não encontrado
Locais

Encontre informações sobre assuntos médicos, sintomas, medicamentos, procedimento, noticias e mais, redigidas em linguagem simples.

Exame ginecológico

Por David H. Barad, MD, MS, Albert Einstein College of Medicine, Bronx;Center for Human Reproduction

Se a mulher tem alguma dúvida ou receio sobre o exame ginecológico, ela deve conversar com o médico antes sobre essas preocupações. Se alguma parte do exame provocar dor, a mulher deve dizer ao médico. A mulher deve esvaziar a bexiga antes do exame físico e pode ser solicitada que colete uma amostra de urina para análise.

O médico geralmente sente o pescoço e a glândula tireoide para verificar se há nódulos e anormalidades. Uma glândula tireoide aumentada ou superativa pode causar alterações menstruais. O médico examina a pele para detectar sinais de acne, excesso de pelos no corpo que é mais típico de homens (hirsutismo), manchas e tumores.

O exame de mama geralmente é feito antes do exame pélvico. Com a mulher sentada, o médico inspeciona os seios procurando por irregularidades, ondulações, pele apertada, nódulos e secreção. A mulher então se senta ou deita, com os braços acima de sua cabeça, enquanto o médico sente (apalpa) cada mama com a mão espalmada e examina cada axila procurando por aumento dos nódulos linfáticos, nódulos e anormalidades. Ao fazer o exame, o médico pode avaliar a técnica de autoexame do seio com a mulher (ver Como fazer um autoexame de mama).

O médico pode usar um estetoscópio para ouvir a atividade do intestino e para verificar se há ruídos anormais feitos pelo sangue que flui através de vasos sanguíneos estreitos. O médico pode tocar em áreas do abdome com os dedos. O médico apalpa delicadamente todo o abdome para verificar se há crescimentos anormais ou órgãos aumentados, especialmente o fígado e o baço. Embora a mulher possa sentir algum desconforto quando o médico pressiona profundamente, o exame não deve ser doloroso. O médico também pode verificar o pulso na virilha (normalmente há pulso), aumento dos gânglios linfáticos e hérnias.

Durante o exame pélvico, a mulher deita de costas com os quadris e joelhos flexionados e suas nádegas em direção à borda da mesa de exame. Mesas de exame pélvico especiais têm estruturas que ajudam a mulher a manter essa posição. Se uma mulher quer observar o exame pélvico, ela deve dizer ao médico, que pode fornecer um espelho. O médico pode explicar o exame ou rever os achados antes, durante ou após o exame. No exame, o médico examina primeiro a área genital externa e observa a distribuição de pelo e qualquer anormalidade, descoloração, secreção ou inflamação. Esse exame pode não detectar anormalidades ou pode dar pistas para problemas hormonais, câncer, infecções, lesões ou abuso sexual.

O médico afasta os tecidos em torno da abertura da vagina (lábios) e examina a abertura. Usando um espéculo (instrumento de metal ou de plástico que estende as paredes da vagina), o médico examina as áreas mais profundas da vagina e o colo do útero (a parte inferior do útero). O colo do útero é examinado de perto na busca de sinais de irritação ou câncer. O médico pode usar um cotonete, escova ou uma pequena espátula de plástico para obter uma amostra para teste, geralmente Papanicolau ou similar. O médico verifica se há protrusão da bexiga, reto ou intestino na vagina (ver Doenças do assoalho pélvico).

Coleta de células cervicais

Depois de retirar o espéculo, o médico sente a parede vaginal para determinar a sua força e sustentação. O médico também procura por tumores ou áreas sensíveis dentro da vagina. Depois de inserir o indicador e o dedo médio de uma mão enluvada na vagina, o médico coloca os dedos da outra mão sobre a parte inferior do abdome acima do osso púbico. Entre as duas mãos, o útero pode geralmente ser sentido como uma estrutura em forma de pera, lisa e firme, e a sua posição, tamanho, consistência e grau de sensibilidade (se houver) podem ser determinados. Em seguida, o médico tenta sentir os ovários, movendo a mão sobre o abdome mais para o lado e exercendo ligeira pressão. Mais pressão é necessária, pois os ovários são pequenos e muito mais difíceis de serem sentidos que o útero. A mulher pode achar essa parte do exame um pouco desconfortável, mas não deve ser dolorosa. O médico determina o tamanho dos ovários e se eles são macios.

Um exame retovaginal pode ser feito. O médico insere o dedo indicador na vagina e o dedo médio no reto para examinar a parede do fundo da vagina na busca por crescimentos ou espessura anormais. Além disso, o médico pode examinar o reto para hemorroidas, fissuras, pólipos e nódulos. Uma pequena amostra de fezes pode ser obtida com um dedo com luva e testado para sangue oculto. A mulher pode levar para casa um kit para testar sangue oculto nas fezes.

Recursos neste artigo