Não encontrado
Locais

Encontre informações sobre assuntos médicos, sintomas, medicamentos, procedimento, noticias e mais, redigidas em linguagem simples.

Hipotermia

Por Daniel F. Danzl, MD, University of Louisville School of Medicine

A hipotermia consiste numa temperatura corporal perigosamente baixa.

  • Estar rodeado por temperaturas muito frias de um ambiente, ter determinados distúrbios, não conseguir mexer-se ou uma combinação de todos pode fazer com que a temperatura corporal diminua muito.

  • A pessoa treme com frio, mas pode ficar confusa e perder a consciência.

  • Ficar quente e seco pode levar à recuperação, salvo se a temperatura corporal for muito baixa.

  • Se a temperatura corporal for muito baixa, os médicos podem aquecer a pessoa com oxigênio quente e com líquidos mornos por via intravenosa ou passando-os por dentro da bexiga, estômago, cavidade abdominal ou cavidade torácica por meio de sondas plásticas. Os médicos também aquecem o exterior do corpo.

A hipotermia causa aproximadamente 600 mortes todos os anos nos Estados Unidos. A hipotermia também aumenta o risco de morte em pessoas com doenças cardíacas, nos vasos sanguíneos e nos nervos.

A hipotermia ocorre quando o organismo perde mais calor do que o que consegue produzir através do aumento do metabolismo por exercício ou do aquecimento do corpo a partir de fontes externas, como uma fogueira ou o sol. O vento contribui para a perda de calor, assim como quando uma pessoa se senta numa superfície fria ou está imersa em água. Uma imersão súbita em água muito fria pode causar hipotermia fatal em 5 a 15 minutos. No entanto, algumas pessoas, em sua maioria lactentes e crianças, sobrevivem até 1 hora completamente imersos em água gelada. O choque pode suspender todos os sistemas, protegendo essencialmente o organismo. A hipotermia pode ocorrer, igualmente, depois de uma imersão prolongada em água moderadamente fria.

As pessoas com maior risco são aquelas que ficam imóveis num ambiente frio, como as que têm um acidente vascular cerebral ou que perdem os sentidos em consequência de uma intoxicação ou de uma lesão, as como um baixo nível de açúcar no sangue ou as com uma lesão. Como não se movem, essas pessoas geram menos calor e são incapazes de se afastar do ambiente frio. Elas correm o risco de sofrer hipotermia mesmo quando a temperatura circundante não é excessivamente fria (aproximadamente 13 ou 16 °C). Pessoas mais jovens e idosos correm um risco especial. as pessoas nessas faixas etárias geralmente não possuem uma compensação ao frio tão boa quanto os adultos mais novos e dependem de outros para antecipar suas necessidades e mantê-los aquecidos. Os idosos podem sofrer de hipotermia em casa por ficarem sentados imóveis numa habitação fria, durante horas. Os lactentes perdem rapidamente o calor corporal e são particularmente propensos à hipotermia. Por vezes um distúrbio, tal como uma infecção extensa ou hipoatividade da glândula tireoide (hipertireoidismo), causa ou contribui para a hipotermia.

Sintomas

Os sintomas iniciais incluem arrepios intensos e bater dos dentes. À medida que a temperatura corporal diminui, os arrepios param e os movimentos tornam-se lentos e torpes, o tempo de reação se prolonga, o pensamento fica degradado e o raciocínio fica comprometido. Estes sintomas podem ocorrer de forma tão gradual que as pessoas, incluindo os companheiros da pessoa afetada, não se apercebem do que está acontecendo. As pessoas podem cair, deambular sem rumo ou simplesmente sentar-se para descansar. Quando os calafrios param, as pessoas ficam mais inativas e entram em estado de coma. Os ritmos cardíaco e respiratório tornam-se mais lentos e débeis. e o coração, por fim, para.

Quanto menor for a temperatura corporal, maior é o risco de morte. A morte pode ocorrer a temperaturas corporais inferiores a 31°C, mas é provável que ocorra abaixo dos 28°C.

Diagnóstico

A hipotermia é diagnosticada medindo-se a temperatura corporal, habitualmente com um termômetro retal. Os termômetros convencionais não registram temperaturas abaixo dos 34 °C), logo são necessários termômetros especiais para medir os casos de hipotermia. São feitas análises ao sangue e, por vezes, outras análises para ver se um distúrbio como uma infecção ou hipotireoidismo causou hipotermia.

Tratamento

Nas fases iniciais, secar o corpo, mudar para roupa quente e seca, cobrir-se com cobertores quentes e tomar bebidas quentes pode levar à recuperação. Nas pessoas que são encontradas inconscientes, é evitada uma maior perda de calor envolvendo-as em um cobertor quente e seco e, se possível, removendo a roupa molhada e movendo-as para um sítio quente enquanto são feitos arranjos para transporte imediato para um hospital. A reanimação cardiorrespiratória (RCP) somente é recomendada fora de um hospital após uma reflexão muito cuidadosa pelos seguintes motivos:

  • É difícil às pessoas não preparadas detectar uma respiração ou um ritmo cardíaco pouco perceptível.

  • Em geral, não se consegue sentir o pulso, nem ouvir o ritmo cardíaco, embora o coração esteja batendo. Por vezes, realizar compressões do tórax em um coração frio batendo perturba o ritmo cardíaco, resultando em morte.

  • A pessoa gravemente hipotérmica deve ser transferida com suavidade, porque um golpe brusco pode provocar um ritmo cardíaco irregular (arritmia), o qual pode ser mortal.

No hospital, a pessoa é aquecida com oxigênio quente por inalação e com líquidos mornos por via intravenosa ou passando-os por dentro da bexiga, estômago, cavidade abdominal ou torácica, por meio de sondas plásticas inseridas nessas áreas. Além disso, é possível aquecer o sangue através do processo de hemodiálise (em que o sangue é bombeado para o exterior do corpo, passa por um filtro com um sistema de aquecimento e retorna ao corpo) ou com uma máquina coração-pulmão (que bombeia o sangue para fora do corpo, aquece-o, acrescenta oxigênio e permite, em seguida, o seu regresso ao corpo).

Como algumas pessoas com hipotermia se recuperam, apesar de chegar ao hospital sem sinal de vida, os profissionais da saúde prosseguem com os esforços de reanimação até conseguirem aquecer a pessoa, ainda que esta não manifeste qualquer reação. Se certos resultados das análises do sangue forem extremamente anormais, a pessoa já está morta.

Recursos neste artigo