Não encontrado
Locais

Encontre informações sobre assuntos médicos, sintomas, medicamentos, procedimento, noticias e mais, redigidas em linguagem simples.

Infecção por clamídia e outras infecções

Por J. Allen McCutchan, MD, MSc, University of California at San Diego

As infecções por clamídia incluem doenças sexualmente transmissíveis da uretra e do colo uterino que são causadas pela bactéria Chlamydia trachomatis. Menos comumente, outras bactérias, como Ureaplasma e micoplasmas, causam infecção da uretra.

  • Os sintomas incluem secreção saindo do pênis ou da vagina e urinação mais frequente.

  • Se não forem percebidas ou tratadas nas mulheres, essas infecções podem resultar em infertilidade, aborto espontâneo e um maior risco de gravidez ectópica.

  • Testes de DNA de uma amostra da secreção ou da urina podem detectar infecção por clamídia.

  • Antibióticos podem curar a infecção e os parceiros sexuais devem ser tratados ao mesmo tempo.

Várias bactérias podem causar doenças parecidas com a gonorreia. Entre esses micro-organismos incluem-se Chlamydia trachomatis, Trichomonas vaginalis, Ureaplasma e vários tipos de micoplasmas. Os laboratórios podem identificar clamídias, mas têm dificuldade de identificar as outras bactérias. Portanto, as infecções causadas por essas bactérias são chamadas infecções não gonocócicas, não causadas por clamídia, geralmente da uretra (uretrite).

Infecção por clamídia é a doença sexualmente transmissível (DST) mais comumente relatada. Nos Estados Unidos, mais de um milhão de casos foram relatados em 2006. Por que a infecção geralmente não causa sintomas, o número de pessoas infetadas pode ser 4 vezes maior. Nos homens, a clamídia causa quase metade das infecções uretrais não gonocócicas. A maioria das infecções uretrais masculinas restantes é provavelmente causada por Ureaplasma urealyticum ou micoplasmas. Nas mulheres, a infecção por clamídia representa praticamente todas as infecções cervicais (cervicite) que produzem pus e não são causadas por gonorreia. Por vezes, ambos os sexos apresentam infecção por gonorreia e clamídia ao mesmo tempo.

Sintomas

Nos homens, os sintomas da uretrite por clamídia começam 7 a 28 dias após a infecção ser adquirida durante a relação sexual. Geralmente, os homens sentem uma sensação de queimação leve na uretra durante a urinação e podem ter uma secreção transparente ou turva saindo do pênis. A secreção é geralmente menos espessa do que a produzida pela gonorreia. A secreção pode ser pouca e os sintomas leves. Porém, cedo pela manhã, o orifício do pênis costuma ter uma cor avermelhada e os seus rebordos estão colados devido às secreções secas. Ocasionalmente, a infecção começa mais drástica, com uma urgência maior em urinar, urinação dolorosa e secreção de pus através da uretra.

Muitas mulheres com cervicite por clamídia têm poucos ou nenhum sintoma. Mas algumas têm uma frequente necessidade de urinar, urinação dolorosa e secreções vaginais de muco amarelado e pus.

Complicações

Se a infecção se propagar para cima no trato reprodutivo da mulher, ela pode infetar os tubos que conectam os ovários ao útero (trompas de Falópio). Essa infecção, chamada salpingite ou doença inflamatória pélvica, causa dor na parte inferior do abdome. Em algumas mulheres, o revestimento da cavidade abdominal (peritônio) pode ficar inflamado. Essa inflamação, chamada peritonite, causa mais dor severa no abdome inferior e, por vezes, na área ao redor do fígado, no abdome superior direito.

Se o ânus estiver infetado, as pessoas podem ter dor ou sensibilidade no reto e uma secreção amarelada de pus e muco saindo do reto.

A clamídia pode ser transferida para o olho, causando infecção da conjuntiva (conjuntivite).

As infecções genitais por clamídia ocasionalmente levam a uma inflamação da articulação chamada artrite reativa (anteriormente chamada de síndrome de Reiter, consulte Artrite reativa). A artrite reativa geralmente afeta várias articulações de uma vez. As grandes articulações são afetadas com mais frequência. A inflamação parece ser uma reação imunológica à infecção genital em vez de uma propagação da infecção para as articulações. Tipicamente, os sintomas começam 1 a 3 semanas após a infecção inicial por clamídia.

Se a uretrite por clamídia não for tratada, os sintomas costumam desaparecer em 4 a 6 semanas. Porém, se não for tratada, a infecção por clamídia pode causar complicações, especialmente em mulheres que foram infetadas há muito tempo. As complicações incluem dor abdominal crônica e formação de cicatriz nas trompas de falópio. A formação de cicatriz causa infertilidade e gravidez ectópica (consulte Gravidez ectópica).

Nos homens, as infecções por clamídia podem causar epididimite, provocando um inchaço doloroso do escroto em um ou em ambos os lados (consulte Epididimite e orquiepididimite). Outras bactérias do intestino também contribuem para essas complicações, provavelmente ao infetar áreas que foram danificadas por clamídia.

Você sabia que...

  • As infecções por clamídia são as doenças transmitidas sexualmente mais comuns.

  • Por que a infecção por clamídia e a gonorreia muitas vezes ocorrem juntas, as pessoas com uma delas são rotineiramente tratadas para ambas.

Diagnóstico

Os médicos suspeitam do diagnóstico com base nos sintomas, como secreção do pênis ou do colo do útero. Na maioria dos casos, os médicos diagnosticam as infecções por clamídia fazendo testes que detectam o material genético exclusivo da bactéria (DNA ou RNA). Geralmente, é usada uma amostra da secreção do pênis ou do colo do útero. Para alguns tipos de testes, pode ser usada uma amostra de urina. Assim, as pessoas podem evitar o desconforto de ter um cotonete inserido no pênis ou passar por um exame pélvico para obter uma amostra.

A gonorreia, que está muitas vezes presente também, pode ser diagnosticada usando a mesma amostra. Geralmente não são feitos testes específicos para infecções genitais com Ureaplasma e micoplasmas. Essas infecções são, por vezes, diagnosticadas em pessoas com sintomas característicos após as infecções por gonorreia e clamídia serem descartadas.

Triagem

Por que a infecção por clamídia é muito comum e porque muitas mulheres infetadas não têm sintomas, esses testes são recomendados para mulheres ativas sexualmente com idade de 15 a 25 para fazer a triagem DST.

Tratamento

As infecções por clamídia, ureaplasma e micoplasma são tratadas com uma dose de azitromicina ou com doxiciclina ou levofloxacina, administradas via oral durante 7 dias. Ao mesmo tempo, é administrado um antibiótico como a ceftriaxona, injetado no músculo, para tratar a gonorreia, pois os sintomas das duas infecções são similares e porque muitas pessoas têm ambas as infecções ao mesmo tempo. Nas mulheres grávidas é administrada azitromicina em vez de tetraciclina ou doxiciclina, o que devem ser evitadas durante a gravidez. Se os sintomas persistirem ou reaparecerem, o tratamento é repetido por um período mais extenso.

As pessoas infetadas devem se abster de relações sexuais antes de completarem o tratamento para evitar infetar seus parceiros sexuais. Os parceiros sexuais devem ser tratados simultaneamente, se possível, e devem se abster de relações sexuais até completarem o tratamento. O risco de outra infecção por clamídia ou outra doença DST dentro de 3 a 4 meses é suficientemente elevado para repetir os exames nesse período de tempo.

Recursos neste artigo