Não encontrado
Locais

Encontre informações sobre assuntos médicos, sintomas, medicamentos, procedimento, noticias e mais, redigidas em linguagem simples.

Colite hemorrágica

Por Thomas G. Boyce, MD, MPH, Mayo Clinic College of Medicine

A colite hemorrágica é um tipo de gastroenterite na qual algumas cepas da bactéria Escherichia coli (E. coli) infectam o intestino grosso, produzindo uma toxina (toxina de Shiga) que causa diarreia sanguinolenta e outras complicações graves.

A colite hemorrágica pode ocorrer em pessoas de todas as idades, mas é mais frequente em crianças e idosos. Na América do Norte, a cepa mais comum de E. coli que causa colite hemorrágica é aE. coli O157:H7. Essa bactéria ocorre naturalmente nos intestinos de gado saudável. Surtos podem ser causados pela ingestão de carne crua mal cozida, leite ou sucos não pasteurizados ou água contaminada. A doença pode ser igualmente transmitida por contato direto, sobretudo entre bebês que usam fraldas.

As toxinas de E. coli danificam o revestimento do intestino grosso. Se passarem para a corrente sanguínea, outros órgãos, como os rins, podem ser afetados.

Sintomas

Cólica abdominal intensa começa subitamente acompanhada diarréia aquosa, que geralmente se torna sanguinolenta em um a três dias. A diarreia geralmente dura de um a oito dias. Geralmente, a febre é ausente ou leve, mas pode ocasionalmente ultrapassar 39°C.

Cerca de 2% a 7% das pessoas com colite hemorrágica desenvolvem um tipo de complicação grave denominada síndrome hemolítico-urêmica (veja Púrpura trombocitopênica trombótica (PTT) e síndrome hemolítico-urêmica (SHU)). Os sintomas incluem anemia (caracterizada por cansaço, fraqueza e sensação de desmaio iminente) causada pela destruição de hemácias (anemia hemolítica), baixa contagem de plaquetas (trombocitopenia) e insuficiência renal súbita. Algumas pessoas com síndrome hemolítico-urêmica também desenvolvem complicações neuronais ou lesões cerebrais, como convulsões ou acidentes vasculares. Essas complicações desenvolvem-se tipicamente na segunda semana da doença e podem ser precedidas por febre crescente. A síndrome hemolítico-urêmica ocorre com maior frequência em crianças menores de cinco anos e em idosos. Mesmo sem a síndrome hemolítico-urêmica e suas complicações, a colite hemorrágica pode causar morte em idosos.

Diagnóstico

O médico geralmente suspeita de colite hemorrágica quando a pessoa comunica a ocorrência de diarreia sanguinolenta. Para estabelecer o diagnóstico, são analisadas amostras de fezes para identificar as cepas de E. coli. O médico pode também realizar o exame de fezes para detectar a toxina produzida pela E. coli. Exames adicionais, como uma colonoscopia, podem ser realizados quando o médico suspeita que a diarreia sanguinolenta possa ser causada por outras doenças.

Tratamento

O aspecto mais importante do tratamento é a ingestão de líquidos em quantidade suficiente. Às vezes, perde-se tanto líquido que é necessária a reposição por via intravenosa. Antibióticos não são usados, pois aumentam o risco de síndrome hemolítico-urêmica. As pessoas que desenvolvem complicações são propensas a necessitarem cuidados intensivos no hospital e podem precisar de diálise renal (veja Diálise).