Não encontrado
Locais

Encontre informações sobre assuntos médicos, sintomas, medicamentos, procedimento, notícias e mais, redigidas em linguagem simples.

Considerações gerais sobre infecções fúngicas

Por Sanjay G. Revankar, MD, Professor of Medicine and Director, Infectious Disease Fellowship Program, Division of Infectious Diseases, Wayne State University School of Medicine ; Jack D. Sobel, MD, Dean and Distinguished Professor of Medicine, Wayne State University School of Medicine

Fungos não são plantas nem animais. Já se pensou que eram plantas, mas agora são classificados em seu próprio reino.

  • Uma vez que os esporos fúngicos estão muitas vezes presentes no ar ou no solo, as infecções fúngicas iniciam-se geralmente nos pulmões ou na pele.

  • As infecções fúngicas são raramente sérias a menos que o sistema imunológico esteja enfraquecido, geralmente por medicamentos ou distúrbios.

  • As infecções fúngicas geralmente progridem lentamente.

  • Os medicamentos antifúngicos podem ser aplicados diretamente no local infectado ou, se a infecção for séria, administrados por via oral ou injetados.

Os fungos podem crescer de duas formas:

  • Leveduras: células redondas únicas

  • Bolores: muitas células formando filamentos longos e finos chamados hifas

Alguns fungos passam por ambas as formas durante seu ciclo de vida.

Os fungos frequentemente crescem no solo e em material vegetal em decomposição. Muitos fungos, incluindo bolores de pão e cogumelos, podem ser vistos a olho nu.

Você sabia que...

  • Os fungos têm seu próprio reino, eles não são plantas nem animais.

Os fungos se reproduzem ao espalhar esporos microscópicos. Esses esporos estão muitas vezes presentes no ar e no solo, onde podem ser inalados ou entrar em contato com a superfície corporal de uma pessoa, principalmente a pele. Assim, as infecções fúngicas iniciam-se geralmente nos pulmões ou na pele.

Da ampla variedade de esporos que se depositam na pele ou que são inalados pelos pulmões, a maioria dos tipos não causa infecção. Alguns tipos causam infecção somente em pessoas com:

  • Sistema imunológico deficiente

  • Material estranho, incluindo dispositivos médicos (como uma articulação artificial ou válvula cardíaca), em seu corpo

O sistema imunológico pode ficar debilitado quando as pessoas tomam medicamentos supressores do sistema imunológico (imunossupressores), tais como medicamentos de quimioterapia ou aqueles usados para prevenir a rejeição de um órgão depois do transplante, ou têm um distúrbio como a AIDS.

Exceto no caso de algumas infecções da pele, as infecções fúngicas raramente são transmitidas de uma pessoa para outra.

Tipos de infecções fúngicas

Muitas vezes, as infecções fúngicas são descritas como oportunistas ou primárias. Elas podem afetar muitas áreas do corpo (sistêmicas) ou apenas uma área (localizadas).

As infecções fúngicas oportunistas se aproveitam de um sistema imunológico debilitado. Assim, elas geralmente ocorrem em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, como as que têm AIDS. Elas ocorrem mundialmente. Infecções fúngicas oportunistas típicas incluem

As infecções fúngicas oportunistas podem ser muito agressivas, disseminando-se rapidamente para outros órgãos e, muitas vezes, levando à morte.

As infecções fúngicas primárias podem ocorrer em pessoas com sistema imunológico normal, às vezes com consequências sérias.

Determinadas infecções fúngicas primárias são mais comuns em certas áreas geográficas, como nos exemplos a seguir:

  • A histoplasmose é especialmente comum nos vales dos rios Ohio e Mississipi, na região central de Nova Iorque e no Texas, Estados Unidos. Ela também ocorre em partes das Américas Central e do Sul, na África e na Austrália.

  • A blastomicose é particularmente comum na parte leste e central dos Estados Unidos. Ela também ocorre na África e no vale do rio Saint Lawrence do Canadá.

  • A coccidioidomicose ocorre quase exclusivamente na região sudeste e no vale central da Califórnia nos Estados Unidos e em partes do México e da América Central e do Sul.

  • A paracoccidioidomicose ocorre principalmente em certas partes das Américas do Sul e Central.

Como muitas infecções fúngicas primárias se desenvolvem lentamente, podem-se passar meses ou anos até que uma pessoa procure assistência médica. Geralmente, se o sistema imunológico for normal, as infecções fúngicas não se espalham aos órgãos profundos do corpo.

As infecções fúngicas localizadas afetam apenas uma área do corpo. Às vezes elas ocorrem quando o equilíbrio normal que mantém os fungos sob controle é alterado. Por exemplo, certos tipos de fungos (como Candida) estão habitualmente presentes na superfície do corpo ou no intestino. As bactérias que, em condições normais, estão presentes no aparelho digestivo e na vagina restringem o crescimento desses fungos nessas áreas. Quando uma pessoa toma antibióticos, as bactérias úteis podem ser igualmente eliminadas, facilitando o crescimento dos fungos de forma descontrolada. O crescimento excessivo dos fungos pode provocar sintomas, os quais são geralmente leves. Quando as bactérias voltam a crescer, o equilíbrio é restabelecido e o problema geralmente se resolve.

Infecções fúngicas localizadas normalmente envolvem a pele a as unhas, a vagina, a boca ou os seios paranasais.

Tratamento

  • Medicamentos antifúngicos

Há diversos fármacos disponíveis que são eficazes contra as infecções fúngicas, mas a estrutura e a composição química dos fungos faz com que sejam difíceis de destruir.

Os medicamentos antifúngicos podem ser aplicados diretamente sobre a infecção fúngica da pele ou de outra superfície, como a vagina ou o interior da boca. Os medicamentos antifúngicos podem ser igualmente administrados por via oral ou ser injetados quando é necessário tratar infecções mais sérias. Para infecções sérias, muitas vezes é necessário um tratamento de vários meses.

Medicamentos para infecções fúngicas sérias

Medicamento

Usos comuns

Alguns efeitos colaterais

Anfotericina B

Maioria das infecções fúngicas

Calafrios, febre, dor de cabeça, vômito, nível baixos de potássio* no sangue, lesão renal e anemia

Anidulafungina

Caspofungina

Micafungina

Aspergillus e infecções por Candida

Enjoo, diarreia, dor de cabeça e erupção cutânea

Fluconazol

Candidíase e outras infecções fúngicas, incluindo coccidioidomicose e infecções criptocócicas

Enjoo, erupção cutânea e inflamação do fígado

Flucitosina

Candidíase e infecções criptocócicas

Enjoo, vômito e danos na medula óssea

Isavuconazol

Aspergilose e mucormicose

Enjoo, vômito e inflamação do fígado

Itraconazol

Infecções fúngicas cutâneas, histoplasmose e outras infecções fúngicas

Enjoo, diarreia, inflamação do fígado, erupção cutânea, dor de cabeça, tontura, baixo nível de potássio* no sangue, pressão arterial alta, acúmulo de líquido (edema) e, raramente, insuficiência cardíaca

Posaconazol

Aspergillus, candidíase e muitas outras infecções fúngicas

Enjoo, vômito, erupção cutânea e, raramente, inflamação do fígado

Voriconazol

Infecções por Aspergillus e Candida, fusariose e scedosporiose

Distúrbios de visão temporários (como visão turva, alterações na visão em cores e sensibilidade à luz), enjoo, vômito, erupção cutânea e inflamação do fígado

*Um nível reduzido de potássio (hipocalemia) pode causar fraqueza, cãibras e espasmos musculares, bem como ritmos cardíacos anormais.

A flucitosina é geralmente utilizada com outros medicamentos.

Recursos neste artigo